Etapa decisiva para a nova Política de Coesão europeia

Etapa decisiva para a nova Política de Coesão europeia

Um contexto de renovados desafios e de reequilíbrios políticos e temáticos: uma decisiva etapa para a nova Política de Coesão europeia

A Europa está em movimento. O Conselho Europeu informal reuniu-se a 9 de maio, Dia da Europa, em Sibiu (Roménia), onde debateu a Agenda estratégica da UE para 2019-2024. As eleições europeias decorreram entre 23 e 26 de maio, abrindo um novo ciclo legislativo com reequilíbrios políticos e temáticos no Parlamento Europeu. O Brexit continua em negociação. A 1 de julho inicia-se o semestre da presidência rotativa da Finlândia, que introduzirá um novo detalhe aos grandes temas.

Neste renovado enquadramento político, a estratégia Europa 2030 continua em debate, assente em consensos quanto aos macro temas, à organização dos fundos e ao orçamento. São cinco os objetivos políticos para o pós 2020, desdobrados em 143 domínios de intervenção, que propõem uma Europa mais inteligente, mais verde e hipocarbónica, mais conectada, mais social e mais próxima dos cidadãos.

Definiu-se uma nova arquitetura assente em sete fundos de gestão partilhada – FEDER, FC, FSE+, FEAMP, FAMI, FSI e IGFV – que se articulam num quadro único de regras, que visa agilizar os procedimentos para gestores e beneficiários.

O Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027, primeiro orçamento a 27, é fundamentalmente composto por sete prioridades temáticas e concede especial atenção ao valor acrescentado, à racionalidade e transparência orçamental, à flexibilidade e à simplificação. A Política de Coesão europeia é a principal política de investimento da UE com uma afetação de cerca de 330,6 mil milhões de euros (30% do orçamento da UE).

A categorização multicritério das regiões para atribuição de fundos – regiões desenvolvidas, menos desenvolvidas e em transição – mitigou as limitações da classificação baseada apenas no PIB pc, passando a ponderar indicadores relativos ao mercado de trabalho, às alterações climáticas e à migração. Uma Política de Coesão europeia compatível com a diversidade regional é o objetivo.

Portugal estará entre os cinco maiores recetores de fundos comunitários, com uma dotação prevista de 21,2 mil milhões de euros, a preços 2018 (-7% face a 2014-2020). O balanço da convergência portuguesa revela fragilidades, nomeadamente visível num reforço não virtuoso da coesão regional interna, resultado da perda de dinamismo das regiões mais desenvolvidas e em divergência face à Europa. Em Portugal, abre-se um novo ciclo de reflexão estratégica em áreas como o desenvolvimento regional; a competitividade empresarial; a sustentabilidade; a inovação e formação ou a economia do mar. Aos velhos temas juntam-se novas questões como a descentralização ou o maior valor acrescentado das intervenções.

O futuro da Europa continua em discussão, com novos momentos chave previstos até dezembro, destacando-se as reuniões do Conselho Europeu. Até lá (e depois disso), é essencial uma reflexão sobre estratégias e soluções adequadas às realidades regionais e a tomada de posição pelos futuros beneficiários dos fundos. É com este propósito de reflexão conjunta que a EY tem promovido o JUMP2030, tendo já realizado três sessões temáticas – desenvolvimento regional, competitividade e instituições – prevendo-se novas sessões para o próximo mês de novembro.

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior Acréscimo: Governo quer instalar extensas áreas de monoculturas intensivas para produção de electricidade
Próximo Presidente da Assembleia quer consagrar 17 de junho como Dia Nacional em Memória das Vítimas dos Incêndios

Artigos relacionados

Nacional

CAP preocupada com a execução do PDR 2020

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) defendeu esta segunda-feira (7 de janeiro) que a execução do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) 2020 está […]

Nacional

Seca extrema. Governo alarga a mais 18 municípios apoios a agricultores

O governo alargou a mais 18 municípios os apoios a agricultores com explorações situadas em concelhos em seca extrema ou severa, […]

Cotações ES

Las lluvias paralizan la recolección de cítricos


Según fuentes de la Lonja de Valencia, se observa un aumento de las compras de cítricos en campo, ante el incremento de la demanda, […]