Estudo | Milho GM pode ajudar Moçambique a resistir a secas e pragas

Estudo | Milho GM pode ajudar Moçambique a resistir a secas e pragas

Num estudo do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM), divulgado em julho, o milho geneticamente modificado (GM) é apontado como uma estratégia eficaz para resistir às secas e às pragas que com frequência afetam este País africano. Os cientistas esperam que, no futuro, as sementes transgénicas sejam acessíveis a todos os agricultores moçambicanos.

Quando foram divulgados os resultados da investigação realizada pelo Instituto de Investigação Agrária de Moçambique, em julho passado, o investigador do IIAM Pedro Fato afirmou que “a produção de milho geneticamente modificado aumentou duas vezes em relação à variedade convencional.”

A revelação é particularmente importante num País como Moçambique, em especial no Sul, onde a seca já provocou a destruição de 125.855 hectares de culturas alimentares. Mas não é só no sul que a disponibilidade de alimentos é escassa. Segundo dados oficiais, devido aos efeitos combinados de estiagem, pragas e inundações, após os ciclones Idai e Kenneth, cerca de 536 mil famílias de 103 distritos de Moçambique estão em risco de fome.

Realizado em quarentena no regadio de Gaza, província de Moçambique, o ensaio do IIAM demonstrou resultados muito positivos, pelo que os cientistas esperam que no futuro as sementes de milho GM sejam acessíveis  a todos os agricultores moçambicanos e garantem que não há indicação de efeitos adversos desta variedade  no que toca à biossegurança: “Não existe nenhuma evidencia científica sobre o trabalho que fizemos ou que tenha acontecido algo aos humanos, animais ou ambiente”, sublinhou Pedro Fato.

De salientar que o milho constitui a fonte básica de alimentação para a maioria da população.

Fonte texto e fotos: CiB

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Comente este artigo
Anterior Sustentabilidade será o core da alimentação do futuro
Próximo InVivo Quest Iberia 2019 – Start-ups challenge

Artigos relacionados

Últimas

Rede Regenerar publica Comunicado sobre resiliência no setor e soberania alimentar

No âmbito da atual situação de pandemia, a Rede Portuguesa de Agroecologia Solidária – Regenerar partilhou um Comunicado refletindo algumas inquietações sobre os tempos que correm e as suas implicações na soberania alimentar. A mensagem é […]

Últimas

INE: Campanha dos cereais de Inverno arranca normalmente. Produção de milho de regadio aumenta

A precipitação ocorrida durante o mês de Novembro, bem como as temperaturas amenas do início e final do mês, permitiu que se realizassem os trabalhos de mobilização do solo e sementeira de cereais de Inverno em condições agronomicamente aceitáveis, […]

Últimas

CiB reage às estratégias da CE: Medidas colocam em risco a produção e a competitividade agrícola da UE

A Comissão Europeia (CE) apresentou, na semana passada, a “Estratégia Do Prado ao Prato” (Farm to Fork ou F2F) e a “Estratégia para a Biodiversidade […]