Estudo da UC avalia impacto dos eucaliptos no funcionamento dos ribeiros

Estudo da UC avalia impacto dos eucaliptos no funcionamento dos ribeiros

[Fonte: Vida Rural]

Um estudo internacional liderado por Verónica Ferreira, investigadora do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), e que envolveu 18 cientistas de instituições ibéricas, da América do Sul e de África, avaliou o impacto de plantações de eucaliptos no funcionamento dos ribeiros em diferentes regiões do mundo.

De acordo com os autores do estudo, as plantações de eucalipto ocupam uma área total de 20 milhões de hectares em todo o mundo, mas o estudo dos seus efeitos nos ribeiros tem sido estudado, sobretudo, na Península Ibérica, o que de acordo com os investigadores, “limita o real conhecimento sobre o impacto que estas plantações podem ter em ribeiros de outras regiões onde o clima, a vegetação nativa e as comunidades aquáticas diferem.”

Verónica Ferreira explica que “foi esta lacuna que tentámos colmatar. Por isso, avaliámos o funcionamento de ribeiros em plantações de eucaliptos por comparação com ribeiros semelhantes mas que atravessavam florestas de espécies nativas, em diferentes regiões na área de distribuição das plantações de eucaliptos de modo a expandir o conhecimento sobre os efeitos das plantações nos ribeiros”.

No âmbito deste estudo, os investigadores utilizaram a decomposição das folhas como indicador do funcionamento do riacho, uma vez que as mudanças neste processo sugerem um impacto negativo. “Os ribeiros que atravessam as florestas são ensombrados pela copa das árvores e é por isso que os organismos aquáticos dependem fortemente das folhas da vegetação ribeirinha. Na água, essas folhas libertam nutrientes que estão disponíveis para outros organismos, como algas, bactérias, fungos e invertebrados”, acrescenta ainda a investigadora.

As experiências realizadas em sete regiões da Península Ibérica, África Central e América do Sul permitiram aos investigadores concluir que “o efeito das plantações de eucaliptos varia entre regiões e depende do tipo de organismos decompositores, não sendo possível fazer generalizações sobre o efeito das plantações desta espécie no funcionamento dos ribeiros uma vez que têm de ser considerados fatores climáticos, o tipo de vegetação nativa e o tipo de comunidade aquática”, conclui a cientista nacional.

Comente este artigo

O artigo Estudo da UC avalia impacto dos eucaliptos no funcionamento dos ribeiros foi publicado originalmente em Vida Rural

Anterior Produção de banana na Madeira regista quebra de 5 mil toneladas em 2018
Próximo Criada Associação Portuguesa de Ciência Avícola para promover “conhecimento avícola”

About author

Artigos relacionados

Últimas

Quercus afirma que a discussão da tragédia de Pedrógão está resumida à palavra ‘SIRESP’

A Quercus considera que a tragédia de Pedrógão Grande, com os incêndios a provocarem 64 mortos, anda um mês depois à volta da palavra “SIRESP”, sem que ninguém fale das falhas da Proteção Civil ou na prevenção florestal.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_4 span,#wpdevar_comment_4 iframe{width:100% !important;} […]

Últimas

Governo não autorizará novas plantações de eucaliptos, transposições são a exceção

Lisboa, 30 jun (Lusa) – O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, garantiu hoje que “não se autorizarão novas plantações de eucalipto em Portugal”, apenas com “a única exceção de transposição de áreas que estão ecologicamente mal localizadas e que não são economicamente rentáveis”.

Na abertura da interpelação do PEV ao Governo que hoje decorre no parlamento sobre “Floresta e desertificação do mundo rural”, […]

Nacional

COTR celebra 20 anos focado em trazer inovação ao regadio

[Fonte: Voz do Campo]

No próximo dia 16 de março assinalam-se os 20 anos da fundação do Centro Operativo e de Tecnologia do Regadio. Em duas décadas as mudanças no uso da água foram muitas e o COTR orgulha-se do forte contributo que deu na transferência de conhecimento para os agricultores. […]