Estudo | A maioria dos americanos acredita que OGM podem contribuir para aumentar a produção global de alimentos

Estudo | A maioria dos americanos acredita que OGM podem contribuir para aumentar a produção global de alimentos

Numa investigação realizada em 2019 para aferir a opinião dos cidadãos norte-americanos dobre os alimentos geneticamente modificados, o Pew Research Center revela que embora metade dos adultos norte-americanos desconfie dos efeitos, na saúde, dos OGM, muitos também vêem vantagens nesta tecnologia, entre as quais a capacidade de aumentar o fornecimento global de alimentos.

Segundo uma investigação do Pew Research Center, em Washington, nos EUA, a maioria dos cidadãos dos EUA têm opiniões contraditórias, no entanto, três quartos (74%) dos adultos inquiridos ​​consideram provável que os alimentos GM podem contribuir para aumentar a produção global de alimentos e 62% afirmam que os alimentos GE têm uma probabilidade muito alta de serem colocados no mercado a preços mais acessíveis.

Este estudo demonstra que as opiniões sobre os efeitos na saúde dos alimentos GM são agora (no estudo de 2019) mais positivas do que, por exemplo, no período entre 2016 e 2018. Ainda assim, metade dos adultos (51%) continua a pensar que os OGM são piores para a saúde humana do que os alimentos não OGM, enquanto 41% afirmam que os alimentos GM têm um efeito neutro na saúde. Apenas 7% referem que são melhores para a saúde do que outros alimentos.

A investigação de 2019 do Pew Research Center também mostra que os homens têm opiniões mais positivas sobre os alimentos GM do que as mulheres. Cerca de 58% das mulheres dizem que os alimentos geneticamente modificados são piores para a saúde e acreditam que têm pelo menos uma probabilidade razoável de provocarem problemas de saúde para a população e efeitos nocivos no ambiente.

Mais informações no Pew Research Center Fact Tank.

Informação adicional:

Homens mais positivos sobre alimentos GM, diz pesquisa

A maioria dos americanos aceita animais transgênicos para a saúde humana, estuda

Americanos divididos sobre ciência de alimentos

Siga o CiB no Twitter, no Instagram, no Facebook e no LinkedIn. No CiB, comunicamos biotecnologia.

O artigo foi publicado originalmente em CiB - Centro de Informação de Biotecnologia.

Comente este artigo
Anterior Revista APH n.º 136 - Março 2020
Próximo Limpeza contra incêndios assegurada no Parque Nacional Peneda Gerês

Artigos relacionados

Comunicados

Tetra Pak lança o primeiro ‘marketplace’ para fabricantes da Indústria Alimentar e de Bebidas

Este lançamento, apresentado no World Economic Forum, em Davos, permite conectar os produtores do setor alimentar e de bebidas […]

Notícias fitofarmacêuticos

Corteva Agriscience™ e Nomisma apresentam estudo sobre controlo de insetos sugadores, na Fruit Logistica em Berlim

Estudo sobre rentabilidade da utilização de Isoclast™, uma molécula que se destina ao controlo de insetos sugadores. Avaliada a produtividade e […]

Nacional

Mais de 600 fogos registados na última semana

Na última semana a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou mais de 600 incêndios. Os distritos de Viana do Castelo, […]