Estatísticas Agrícolas – 2020 – Ano de Edição: 2021

Estatísticas Agrícolas – 2020 – Ano de Edição: 2021

A publicação Estatísticas Agrícolas – 2020, está organizada em 12 capítulos, com textos de análise e respetivos quadros estatísticos. A informação divulgada cobre a atividade agrícola e alguns setores da economia nacional com ligações ao setor agrícola, incluindo temas tão diversificados como a produção vegetal, animal e florestal; a economia agrícola, analisada através das contas económicas da agricultura, da silvicultura e preços e índices de preços na agricultura, bem como o comércio internacional de produtos agrícolas e florestais, entre outros.

O ano agrícola 2019/2020 caracterizou-se meteorologicamente por um outono normal em relação à temperatura do ar e à precipitação, seguido por um inverno extremamente quente (segundo mais quente desde 1931) e seco (78% do valor médio). As regiões a sul do Tejo registaram situações de seca meteorológica, com maior persistência e severidade no Baixo Alentejo e Algarve. A primavera e o verão continuaram a classificar-se como muito quentes, com destaque para julho (o mais quente desde 1931).

A área semeada de cereais praganosos foi próxima da registada na campanha anterior (-1,3%). As condições meteorológicas foram favoráveis para o desenvolvimento vegetativo dos cereais de inverno, registando-se uma produção semelhante à média do último quinquénio. Nas culturas de primavera-verão registou-se uma diminuição generalizada de áreas, que resultaram em quebras de produção de 12,8% no tomate para a indústria, 17,8% no arroz e 9,7% no milho para grão.

A produção animal foi semelhante à registada no ano anterior.

Em 2020, as exportações de “Produtos agrícolas e agroalimentares” (exceto bebidas) aumentaram 5,8% face ao ano anterior (uma evolução contrária à redução de 10,2% registada nas exportações globais de bens), enquanto as importações diminuíram 1,8%, refletindo-se numa melhoria do saldo da balança comercial (diminuição do défice em 429,7 milhões de euros).

Assim, a agricultura globalmente terá atravessado um ano marcado pela pandemia COVID-19, evidenciando uma resiliência que não foi patente em muitos outros setores da atividade económica nacional.

→ Aceda aqui aos documentos ←

Comente este artigo
Anterior Proença-a-Nova vai ter quatro Áreas Integradas de Gestão da Paisagem
Próximo ICNF lança concurso de quatro milhões para zonas de caça

Artigos relacionados

Últimas

PAN diz que concentração de serviços está a despovoar aldeias e vilas

O líder partidário iniciou hoje no distrito de Bragança uma volta que o levará, nas próximas cinco semanas a percorrer o país, […]

Últimas

Floresta amazônica, uma commodity?

Há quase duas décadas, Henry Walter Bates e Alfred Russel Wallace visitaram a região do Lago do Maicá, no município de Santarém, […]

Comunicados

Apanha mecânica noturna em olival superintensivo provoca mortalidade de aves

O Estudo sobre os impactos das culturas intensivas e superintensivas de olival em áreas de regadio desenvolvido pelo Instituto Nacional de […]