Espírito Agroglobal – Joaquim Pedro Torres

Espírito Agroglobal – Joaquim Pedro Torres

A edição 2016 da Agroglobal foi mais uma inequívoca demonstração da força e vitalidade do setor agrícola, pelo número record de empresas presentes mas, principalmente, pelo entusiasmo e dinamismo com que participaram.

Cada presença foi, por si só, um evento com vida própria tornando difícil a opção dos visitantes entre as visitas aos stands, os ensaios de campo, as demonstrações das máquinas, os seminários…

Em três intensos dias, neste congresso de agricultura a três dimensões, mais de 30 000 pessoas tiveram a possibilidade de confrontar as mais modernas soluções apresentadas pelas empresas, debater perspetivas para o setor, avaliar tecnologias e estratégias, debater experiencias concretas… num ambiente descontraído mas de forte partilha de conhecimento.
Visitantes e expositores constituíram um verdadeiro bloco, orgulhoso e confiante.

Na agricultura, como em toda a atividade económica, a confiança é fator decisivo para enfrentar com êxito os muitos desafios que se lhe deparam:
– Buscar sempre mais eficiência em todos os sistemas de produção para conseguir resistir num mercado cada vez mais aberto e concorrencial.
– Lutar no seio da CE para evitar desvantagens comparativas que a “eurocracia” teima em impor-nos.
– Procurar melhor colaboração com todos os organismos com que o setor produtivo se relaciona, salientando que o seu desempenho rápido e construtivo é decisivo para o progresso da nossa atividade.
– Encontrar sinergias com os outros elos da cadeia produtiva diminuindo o custo final dos nossos produtos.
– Valorizar interna e externamente a marca “Portugal”, obviamente acompanhada da melhoria permanente de qualidade dos nossos produtos.
– Olhar para as zonas desfavorecidas com cuidados redobrados. Ambiente, ordenamento do território e trabalho são valores inestimáveis e só a agricultura os pode preservar de forma continuada. É esse o nosso verdadeiro “greening.”

Se transportarmos para os nossos campos e para estas e outras tarefas aquele estado de espírito, então sim, podemos dizer que a Agroglobal foi um êxito.

Setembro 2016

Joaquim Pedro Torres

Comente este artigo
Anterior Açores recebe especialistas internacionais para debater futuro da apicultura
Próximo Os Seguros no contexto económico e social da agricultura - Lino Afonso

Artigos relacionados

Opinião

Debater, Divulgar e Dinamizar – o Papel do Empreendedorismo Agrícola – Filipe Cruz

De forma clássica, poderemos distinguir dois tipos de agricultura, com base nos seus perfis de risco: (1) uma agricultura tradicional, essencial na ocupação do espaço rural e no sustento da economia local, cujo impacto económico é maioritariamente estático e (2) uma agricultura moderna, caracterizada pela inovação e pela excelência na otimização dos recursos, […]

Opinião

Proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2019 – Medidas com Impacto para o Sector Agrícola e Florestal – Catarina Pinto Correia

O presente documento foca alguns dos elementos da Proposta de Lei do Orçamento de Estado para 2019 com maior relevância para o sector agrícola e florestal.
Programa Nacional de Regadios
A Proposta do OE 2019 autoriza agora o Governo a efetuar as alterações orçamentais necessárias para implementar o Programa Nacional de Regadios, […]

PDR 2020: Ponto de Situação e Perspectivas – Pedro Serrano

A Autoridade de Gestão do PDR 2020 divulgou recentemente os dados acumulados de execução do Programa até final de 2016. Essa informação, bem como outra que está disponível publicamente (Relatório de Execução de 20014/2015, documento de programação após reprogramação de 2016, pagamentos do IFAP), permite fazer uma análise da evolução do Programa até ao momento e perspectivar a sua possível evolução nos tempos mais próximos, […]