Espírito Agroglobal – Joaquim Pedro Torres

Espírito Agroglobal – Joaquim Pedro Torres

A edição 2016 da Agroglobal foi mais uma inequívoca demonstração da força e vitalidade do setor agrícola, pelo número record de empresas presentes mas, principalmente, pelo entusiasmo e dinamismo com que participaram.

Cada presença foi, por si só, um evento com vida própria tornando difícil a opção dos visitantes entre as visitas aos stands, os ensaios de campo, as demonstrações das máquinas, os seminários…

Em três intensos dias, neste congresso de agricultura a três dimensões, mais de 30 000 pessoas tiveram a possibilidade de confrontar as mais modernas soluções apresentadas pelas empresas, debater perspetivas para o setor, avaliar tecnologias e estratégias, debater experiencias concretas… num ambiente descontraído mas de forte partilha de conhecimento.
Visitantes e expositores constituíram um verdadeiro bloco, orgulhoso e confiante.

Na agricultura, como em toda a atividade económica, a confiança é fator decisivo para enfrentar com êxito os muitos desafios que se lhe deparam:
– Buscar sempre mais eficiência em todos os sistemas de produção para conseguir resistir num mercado cada vez mais aberto e concorrencial.
– Lutar no seio da CE para evitar desvantagens comparativas que a “eurocracia” teima em impor-nos.
– Procurar melhor colaboração com todos os organismos com que o setor produtivo se relaciona, salientando que o seu desempenho rápido e construtivo é decisivo para o progresso da nossa atividade.
– Encontrar sinergias com os outros elos da cadeia produtiva diminuindo o custo final dos nossos produtos.
– Valorizar interna e externamente a marca “Portugal”, obviamente acompanhada da melhoria permanente de qualidade dos nossos produtos.
– Olhar para as zonas desfavorecidas com cuidados redobrados. Ambiente, ordenamento do território e trabalho são valores inestimáveis e só a agricultura os pode preservar de forma continuada. É esse o nosso verdadeiro “greening.”

Se transportarmos para os nossos campos e para estas e outras tarefas aquele estado de espírito, então sim, podemos dizer que a Agroglobal foi um êxito.

Setembro 2016

Joaquim Pedro Torres

Comente este artigo
Anterior Açores recebe especialistas internacionais para debater futuro da apicultura
Próximo Os Seguros no contexto económico e social da agricultura - Lino Afonso

Artigos relacionados

Opinião

Mitos e modas da alimentação – Isabel Bragança

Como é fácil cair em extremos e acreditar em teorias que nos impõem, sem ir procurar fundamentos! A dieta mediterrânica – baseada nos hábitos alimentares de países como Portugal, Grécia e Sul de Itália – é uma dieta equilibrada e saudável, caracterizada, no geral, pelo abundante consumo de peixe, […]

Opinião

O ano agrícola vai terminar!…..Porque não fazer contas? – Mário Antunes

Por norma, por tradição ou resultado dos ciclos culturais, os “anos agrícolas” terminam normalmente a partir de Setembro de cada ano civil.
Este é o momento em que muitas culturas vão terminar o seu ciclo e se inicia a preparação de uma nova campanha.
Porque não fazer, […]

Opinião

As energias renováveis na Agricultura – Nuno Vacas

Num futuro próximo, as energias renováveis vão contribuir de modo significativo para a eficiência energética e redução de emissões de gases de estufa no sector Agrícola e Agro-industrial.
Portugal tem condições edafoclimáticas muito competitivas em relação a outros países da Europa: clima, relevo, temperatura, radiação e vento para a produção de Energias Renováveis – […]