EntoValor – Evento final – 22 de novembro – Santarém

EntoValor – Evento final – 22 de novembro – Santarém

[Fonte: Consulai] Com o intuito de devolver os nutrientes perdidos às plantas e animais e após 40 meses de trabalho, o projeto EntoValor termina com a realização de um evento.

O projeto EntoValor, após 40 meses de trabalho focados no papel dos insetos na economia circular aplicada ao setor agroalimentar, realiza no próximo dia 22 de novembro o seu evento final. O evento irá começar pelas 9h na Estação Zootécnica Nacional, Quinta Fonte Boa – Fonte Boa 2005-048 Vale de Santarém.

O dia 22 de novembro, será marcado por muitas novidades, sendo apresentados os progressos obtidos no âmbito do projeto e dinamizado com várias discussões entre diversas entidades do setor agroindustrial português e internacional.

O EntoValor é um projeto em co-promoção liderado pela EntoGreen e com a colaboração de mais quatro parceiros, o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), a AgroMais Plus, a Rações Zêzere e a Consulai.

Este projeto distingue-se, por se tratar de um dos primeiros a ser implementado no território nacional a esta escala. A unidade fabril que a EntoGreen pretende construir com o know-how gerado no âmbito do projeto, será portanto, uma das primeiras a serem implementadas no mundo, contribuindo desta forma, para o desenvolvimento económico da região e criando um setor produtivo e inovador no nosso país.

O EntoValor surgiu da carência de conhecimentos técnicos e científicos desenvolvidos, que permitissem a sua aplicação à escala industrial. Com este projeto foi possível o estabelecimento destes conhecimentos, através da realização de testes no terreno, da instalação de uma unidade piloto e de protótipos que possibilitem a valorização destes resíduos à escala industrial de uma forma eficiente.

Pelo exposto, os trabalhos desenvolvidos no decorrer deste projeto contribuíram para a transição para uma economia circular no setor agroalimentar que passa pela conversão de subprodutos vegetais, em matérias-primas secundárias, nomeadamente em novas fontes nutricionais para rações para animais e em fertilizantes orgânicos para os solos. Estes subprodutos são materiais de base biológica podendo apresentar vantagens ligadas à sua renovabilidade, biodigestão ou possibilidade de conversão.

O resultado final do projeto foi a criação de uma nova indústria em Portugal, geradora de valor económico e assente na sustentabilidade agroalimentar. A empresa-líder espera, com este projeto, criar duas novas linhas de produtos inovadores e um novo serviço. Contudo, devido à natureza exportável dos produtos e serviços, ambicionam que este projeto os catapulte para o mercado internacional num futuro muito próximo. Para isso a EntoGreen espera iniciar a construção de uma unidade de produção em larga escala que se traduz num investimento de vários milhões de euros, a implementar no Ribatejo, o coração agrícola do nosso país.

Consulte o programa e inscreva-se neste grande evento!

Comente este artigo
Anterior Combate à praga Psila Africana dos Citrinos
Próximo Ministério da Agricultura alerta para aumento de dispersão da praga dos citrinos

Artigos relacionados

Últimas

Lactarius deliciosus e Lactarius chrysorrheus: as diferenças e a contribuição desta espécie comestível para o desenvolvimento socioeconómico do interior

Trabalho de José Luís Gravito Henriques, Eng.º Agrónomo, recentemente concluído onde, para além de outros aspectos, aborda a grande contribuição que, […]

Nacional

Produção de maçã atinge 340 mil toneladas o valor mais alto desde 1986

A produção de maçã deverá atingir as 340 mil toneladas, o valor mais alto desde 1986, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE) no seu Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – […]

Últimas

“Pena de prisão para duas pessoas por tráfico de 14 quilos de haxixe” é a manchete do Açoriano Oriental

A condenação por tráfico de droga de dois homens a penas de sete e dois anos de prisão, por tentarem introduzir mais de 14 quilos de haxixe em São Miguel, […]