Engaço de uva. Uma ajuda na cura de feridas do pé diabético

Engaço de uva. Uma ajuda na cura de feridas do pé diabético

Estudo da UTAD revela potencialidades do engaço de uva na cura de feridas do Pé Diabético.

Um estudo feito por investigadores do CITAB, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, está a aplicar extratos de engaço de uva, das castas Sousão e Syrah, para avaliar o efeito antibacteriano num conjunto de microrganismos associados às feridas do pé diabético.

O estudo engloba isolados bacterianos obtidos desde fevereiro de 2009 em mais de 120 doentes, no âmbito de um protocolo estabelecido com o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro e aprovado pela comissão de ética da unidade hospitalar.

Segundo Ana Barros, investigadora responsável pelo estudo, “o potencial biológico dos extratos foi já avaliado em isolados de úlceras do pé diabético, nomeadamente staphylococcus aureus”.

Ana Barros, do CITAD.

A bactéria representa a maior ameaça para a saúde pública e foi incluída no grupo de prioridade alta pela Organização Mundial de Saúde em 2017 como agente patogénico prioritário, “por ser resistente à meticilina, antibiótico utilizado no tratamento do pé diabético”.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Anterior Arroz mantém produção da campanha anterior apesar de afectada pela falta de calor
Próximo Mais cereais na Europa, prevê menos importação de milho

Artigos relacionados

Nacional

A importância do boro e do zinco no amendoal

IntroduçãoA aplicação de determinados nutrientes no amendoal de forma correcta e equilibrada, melhora a produção quantitativa e qualitativa da amêndoa e além disso confere às plantas uma maior resistência às doenças, […]

Últimas

Ribatejo recebe a 11º edição do Concurso Nacional de Mel – 5 e 6 de março – Santarém

O Concurso Nacional de Mel prepara a sua 11º edição, numa iniciativa da FNAP e da Feira Nacional da Agricultura e vai realizar-se a 6 de março de 2020, […]

Nacional

Universidade do Minho estuda biodiversidade nas vinhas de Melgaço

A Quinta de Soalheiro, em Melgaço, abriu as suas portas ao projeto ECO-AGRIFOOD, um estudo levado a cabo pelo Centro de Biologia Molecular e Ambiental (CBMA) e o Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade (IB-S) da Universidade do Minho que tem como objetivo conhecer e valorizar a biodiversidade e os serviços dos ecossistemas associados à […]