Economia circular e combate ao desperdício do continente são premiados

Economia circular e combate ao desperdício do continente são premiados

O projeto Transformar.te do Continente acaba de receber o Galardão de melhor projeto do Food and Nutrition Awards (FNA), na categoria de sustentabilidade, vendo assim premiado o seu esforço de transformação de desperdício em oportunidades.

O projeto Transformar.te consiste em reduzir, reutilizar e reciclar desperdícios alimentares decorrentes da atividade do Continente. Para isso, desenvolve iniciativas de aceleração do escoamento dos produtos em fim de vida, de valorização de produtos comercialmente desvalorizados – que são encaminhados para instituições parceiras ou para uso interno – e transforma excedentes alimentares em novos produtos, como os recentes doces e chutneys de economia circular.

Em resultado, o projeto Transformar.te gerou um beneficio económico, estimado, na ordem do milhão de euros, assim como um beneficio social de nove milhões, favorecendo igualmente o ambiente. Para isso, muito tem contribuído o trabalho que a insígnia tem desenvolvido junto da sua cadeia de abastecimento e dos produtores pertencentes ao Clube de Produtores Continente.

A relevância social do projeto e o seu caráter inovador, resultado da capacidade de mobilizar diferentes públicos – colaboradores, consumidores, parceiros – para a adoção de novos hábitos de compra e consumo, valeram ao projeto esta distinção.

Este galardão é o reconhecimento do esforço que o Continente tem vindo a fazer para combater o desperdício alimentar em toda a sua cadeia de valor, através de ações concretas de valorização de excedentes alimentares, mas, também, de ações de sensibilização da população. Destaque, por exemplo, para a distribuição de 500 mil exemplares de um Guia de Combate ao Desperdício Alimentar, realizada pela Missão Continente.

Recorde-se que o FNA é uma plataforma multisetorial, que conta com a AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, a APED – Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, a FIPA Federação das Indústrias Portuguesas Agroalimentar, a PortugalFoods e a CAP – Agricultores de Portugal como membros do Executive Board. A iniciativa conta ainda com o apoio institucional do Ministério da Agricultura, das Florestas e do Desenvolvimento Rural, do Ministério da Saúde, do Ministério da Economia
e do Ministério da Educação.

Comente este artigo
Anterior Governo apoia a maior representação de sempre do setor hortofrutícola em certame internacional
Próximo CATAA promove Jornadas de Altas Pressões no âmbito do projeto INNOACE - 25 de Outubro 2017 - Castelo Branco

Artigos relacionados

Últimas

Em defesa do iogurte nacional – Carlos Neves

Caro Henrique Pereira dos Santos, sendo eu leitor assíduo dos seus artigos e opiniões como defensor do meio rural, da floresta e de uma gestão […]

Últimas

Live: Agricultural Outlook 2020

Na edição deste ano, serão objeto de reflexão e análise por parte dos palestrantes as lições aprendidas com a pandemia e os caminhos a percorrer para uma recuperação sustentável. Será também uma oportunidade […]

Últimas

BE quer novas prioridades para a PAC sem “repetir erros do passado”

A coordenadora do BE defendeu hoje novas prioridades para as verbas da Política Agrícola Comum (PAC), acusando o Governo de se “preparar para repetir erros do passado” […]