CATAA promove Jornadas de Altas Pressões no âmbito do projeto INNOACE –  25 de Outubro 2017 – Castelo Branco

CATAA promove Jornadas de Altas Pressões no âmbito do projeto INNOACE – 25 de Outubro 2017 – Castelo Branco

A CATAA – Associação Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar tem aprovado o projeto INNOACE que engloba 14 parceiros. Desta parceria fazem parte instituições de ensino superior e instituições de IDT de Portugal e Espanha.

Este projeto é cofinanciado pela União Europeia, pelo Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP), através do FEDER. O INNOACE visa a criação de uma rede de investigação transfronteiriça entre a Extremadura, Centro e Alentejo. No âmbito deste projeto, realiza-se no dia 25 de Outubro de 2017 pelas 14h30, as Jornadas de Altas Pressões no CATAA em Castelo Branco.

Atualmente, no setor agroalimentar, existe um consumidor mais informado que procura alimentos de elevada qualidade, livres de aditivos e pouco processados. Para satisfazer esta exigência, existiu uma necessidade de criar novas tecnologias de processamentos não térmicos de alimentos que melhorassem as condições de conservação dos mesmos.

O processo de Alta Pressão Hidrostática (HPP), também conhecido por pasteurização a frio, é uma tecnologia emergente na indústria alimentar que permite o processamento dos alimentos a temperatura ambiente, sendo esta a principal característica deste processo que captou a atenção da indústria. O HPP utiliza elevadas pressões, normalmente entre os 100 e 1000 MPa, e pode apresentar um sistema de calor acoplado, sendo que num ciclo de HPP típico, os alimentos pré-embalados são inseridos num vaso de pressão e de seguida, sujeitos a uma pressurização em que a água é o meio transmissor de pressão. Este processamento elimina patogénicos presentes nos alimentos e aumenta o tempo de vida útil dos mesmos, e apresenta a particularidade de não alterar as suas características organoléticas e o seu valor nutricional, ao contrário do que acontece com os processos tradicionais que utilizam elevadas temperaturas no processamento dos alimentos.

Esta tecnologia teve uma elevada taxa de aceitação por parte da indústria agroalimentar, sendo que os principais setores utilizadores deste processo são as hortofrutícolas, as carnes, os derivados do mar e os produtos lácteos. Entidades reguladoras a nível mundial, como é o caso da Food and Drug Administration (FDA), aprovaram o processo HPP como uma forma de pasteurização não térmica capaz de substituir os processos de pasteurização convencionais. A indústria agroalimentar deve investir cada vez mais neste método de processamento de alimentos, de forma a criar produtos alimentares mais refinados, com maior qualidade, e que satisfaçam plenamente os consumidores.

Comente este artigo
Anterior Economia circular e combate ao desperdício do continente são premiados
Próximo Congresso Europeu de Jovens Agricultores - 18 a 19 de Outubro 2017 - Bruxelas

Artigos relacionados

Últimas

NEGOTIATIONS FOR THE EU BUDGET: STILL VERY DIVERGENT POSITIONS

Last weeks were notably marked by:

In the Member States, a coalition was formed to secure the current levels of the Cohesion Fund in the next MFF. […]

Nacional

Incêndios: CNA diz que agricultura ficou mais fragilizada e floresta com mais riscos

Fonte: [Diário de Notícias]
A Confederação Nacional de Agricultura (CNA) alertou hoje que a agricultura ficou ainda mais fragilizada e a floresta comporta mais riscos nos territórios afetados pelos grandes fogos de outubro de 2017. […]

Últimas

Incêndios: Todos os distritos estão em estado de alerta laranja, o segundo mais grave da escala

A mesma fonte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) precisou que o estado de alerta especial laranja foi acionado às 00:00 de hoje e vai prolongar-se até […]