CATAA promove Jornadas de Altas Pressões no âmbito do projeto INNOACE –  25 de Outubro 2017 – Castelo Branco

CATAA promove Jornadas de Altas Pressões no âmbito do projeto INNOACE – 25 de Outubro 2017 – Castelo Branco

A CATAA – Associação Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar tem aprovado o projeto INNOACE que engloba 14 parceiros. Desta parceria fazem parte instituições de ensino superior e instituições de IDT de Portugal e Espanha.

Este projeto é cofinanciado pela União Europeia, pelo Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP), através do FEDER. O INNOACE visa a criação de uma rede de investigação transfronteiriça entre a Extremadura, Centro e Alentejo. No âmbito deste projeto, realiza-se no dia 25 de Outubro de 2017 pelas 14h30, as Jornadas de Altas Pressões no CATAA em Castelo Branco.

Atualmente, no setor agroalimentar, existe um consumidor mais informado que procura alimentos de elevada qualidade, livres de aditivos e pouco processados. Para satisfazer esta exigência, existiu uma necessidade de criar novas tecnologias de processamentos não térmicos de alimentos que melhorassem as condições de conservação dos mesmos.

O processo de Alta Pressão Hidrostática (HPP), também conhecido por pasteurização a frio, é uma tecnologia emergente na indústria alimentar que permite o processamento dos alimentos a temperatura ambiente, sendo esta a principal característica deste processo que captou a atenção da indústria. O HPP utiliza elevadas pressões, normalmente entre os 100 e 1000 MPa, e pode apresentar um sistema de calor acoplado, sendo que num ciclo de HPP típico, os alimentos pré-embalados são inseridos num vaso de pressão e de seguida, sujeitos a uma pressurização em que a água é o meio transmissor de pressão. Este processamento elimina patogénicos presentes nos alimentos e aumenta o tempo de vida útil dos mesmos, e apresenta a particularidade de não alterar as suas características organoléticas e o seu valor nutricional, ao contrário do que acontece com os processos tradicionais que utilizam elevadas temperaturas no processamento dos alimentos.

Esta tecnologia teve uma elevada taxa de aceitação por parte da indústria agroalimentar, sendo que os principais setores utilizadores deste processo são as hortofrutícolas, as carnes, os derivados do mar e os produtos lácteos. Entidades reguladoras a nível mundial, como é o caso da Food and Drug Administration (FDA), aprovaram o processo HPP como uma forma de pasteurização não térmica capaz de substituir os processos de pasteurização convencionais. A indústria agroalimentar deve investir cada vez mais neste método de processamento de alimentos, de forma a criar produtos alimentares mais refinados, com maior qualidade, e que satisfaçam plenamente os consumidores.

Comente este artigo
Anterior Economia circular e combate ao desperdício do continente são premiados
Próximo Transmission Walterscheid Ultra.plus, le très haut de gamme du cardan

Artigos relacionados

Nacional

Arganil refloresta dois mil hectares de baldios com sobreiros, carvalhos, medronheiros e castanheiros

[Fonte: Notícias de Coimbra] Arganil vai avançar com a reflorestação de dois mil hectares de baldios com uma aposta nas espécies autóctones, um investimento previsto de cerca de três milhões de euros suportado por um grupo privado, anunciou hoje o presidente da Câmara. […]

Notícias Apoios

Câmara de Fornos de Algodres paga seis euros por cada ovino da raça Serra da Estrela

[Fonte: Observador]
A Câmara Municipal de Fornos de Algodres decidiu atribuir um incentivo financeiro de seis euros por cada ovino da raça Serra da Estrela, com o objetivo de rejuvenescer o setor e de incentivar as raças autóctones.
O apoio, que consta de um regulamento municipal que já foi aprovado pela autarquia, […]

Nacional

Ponta Delgada recebe 'Açores World Medicines Summit' em outubro

[Fonte: Açoriano Oriental]

Ponta Delgada vai receber, a 11 e 12 de outubro deste ano, o World Medicines Summit, que irá reunir no Coliseu Micaelense, centenas de médicos regionais, nacionais e internacionais, que irão abordar “Fatores Epigenéticos na Saúde dos Povos”. […]