“É possível mudar as regras do jogo sem comprometer o rendimento das culturas”, Sérgio Trindade, da UPL Portugal

“É possível mudar as regras do jogo sem comprometer o rendimento das culturas”, Sérgio Trindade, da UPL Portugal

A UPL Portugal aposta num portfolio integrado de químicos de síntese, biosoluções e ferramentas digitais para ajudar os agricultores a produzir mais e melhores alimentos com menos resíduos. Entrevista com Sérgio Trindade, diretor comercial da UPL Portugal.

A UPL lançou o Spirox® D, um novo fungicida para controlo do oídio e black-rot da videira. O que o distingue dos produtos da concorrência?

O Spirox® D é um fungicida sistémico com ação preventiva e curativa, à base dos ingredientes ativos Espiroxamina e Difenoconazol, que controla eficazmente o oídio e black-rot da videira. A grande mais-valia deste produto relativamente aos concorrentes é que atua durante todo o desenvolvimento do ciclo do fungo patogénico, o que o define como o fungicida mais potente do mercado para o controlo destas doenças. Apresenta uma dupla sistemia complementar translaminar, protegendo assim todas os órgãos da planta. Acreditamos que os viticultores portugueses têm a partir de agora, uma arma fundamental para incluírem na sua estratégia de tratamentos na vinha.

Vidivinum® é a gama de soluções da UPL para proteção da vinha. Quais os seus produtos “bandeira”?

A UPL criou recentemente o conceito Vidivinum®, que reflete o compromisso da empresa em trazer para o mercado português soluções diferenciadoras e eficazes, que contribuam para o sucesso dos viticultores portugueses. Porque possuímos um catálogo repleto de boas soluções, é difícil não falar de todos os produtos. De qualquer forma quero destacar nos fungicidas o Spirox D, o Spirox, o Thiopron, Optix R, o Novicure, o Vintage Disperss e o Pyrus. Nos inseticidas destaco o Cythrin Max e o Polithiol. Como líderes que somos em Biosoluções, não posso deixar de referir toda a linha Goëmar Goactiv, assim como o fungicida biológico Vacciplant.

A UPL Portugal tem campos demonstrativos da sua estratégia Pronutiva aplicada a culturas fruteiras. Em que consiste esta estratégia? O mesmo está previsto para a cultura da vinha?

A estratégia Pronutiva visa conjugar as soluções de químicos de síntese com as Biosoluções, com o objetivo principal de conseguirmos obter alimentos com menor número de resíduos. Este é o caminho que a Europa definiu na sua estratégia “Farm to Fork” e a UPL está empenhada em ajudar os agricultores portugueses a atingirem esse objetivo. Por forma a atender a essa necessidade, pretendemos apresentar a estratégia Pronutiva através de campos demonstrativos, com a finalidade de demonstrar aos diversos atores da cadeia de valor que é possível mudar as regras do jogo sem comprometer o rendimento das culturas. Começamos com a maçã, no ano passado, e vamos alargar a outras culturas, como é o caso da vinha.

Fale-nos da equipa da UP Portugal e como está articulada no apoio aos distribuidores e agricultores.

A base do nosso negócio assenta numa parceria efetiva com a rede de distribuidores UPL presentes no país.  A equipa da UPL Portugal está empenhada em prestar todo o apoio, para que cada distribuidor com a sua própria equipa de profissionais possua as condições necessárias para apoiar o agricultor na obtenção dos melhores resultados com as soluções UPL.

A UPL tem um forte investimento em biosoluções. Qual é visão da empresa para futuro neste âmbito?

A UPL é líder mundial em Biosoluções. Pretendemos consolidar e reforçar essa liderança, apresentando novos produtos ao mercado neste segmento.  Para isso possuímos centros de investigação a nível global, que trabalham com o objetivo de inovar nesta matéria. Não deixámos de investir em químicos de síntese, vamos num futuro próximo ter também algumas novidades, mas efetivamente o mundo caminha num sentido um pouco diferente daquele que estávamos habituados e a UPL pretende estar no grupo da frente para fazer essa mudança, não só no que diz respeito a Biosoluções, como também na área da digitalização, onde igualmente vamos apresentar ao mercado português várias soluções.

Equipa UPL Portugal

Entrevista enviada pela UPL Portugal.

Comente este artigo
Anterior GNR trava entrada a 155 trabalhadores na cerca sanitária em Odemira
Próximo UNAC disponibiliza Guia de Comercialização da Cortiça

Artigos relacionados

Últimas

Regantes defendem que produtividade económica da água deve ser prioridade nos futuros apoios da PAC

Num momento em que se discute o futuro da Política Agrícola Comum (PAC) e se aproximam as eleições para o Parlamento Europeu, […]

Nacional

Clima: Portugal ‘vulnerável’ a alterações climáticas exige ‘prioridade nacional’ – ZERO

Portugal é dos países europeus com maior vulnerabilidade às alterações climáticas, pelo que este problema deve converter-se numa prioridade […]

Últimas

Alimentos Frescos São Mais Nutritivos, Saudáveis e Melhores Para o Ambiente?

Foi publicado um artigo na Vox em Janeiro de 2019, sobre empresas que estavam a criar negócios sustentáveis e ambientalmente positivos. […]