Dona Uva leva showcooking com Chef Rodrigo Castelo à Feira Nacional de Agricultura

Os cachos da Dona Uva, marca de uva de mesa portuguesa, aguardam pelas próximas semanas de calor para serem colhidos e chegarem aos consumidores. A campanha arranca apenas em Julho, mas a Dona Uva não quer deixar de marcar presença no maior evento agrícola do País. Na Feira Nacional de Agricultura, em Santarém, a partir deste sábado e até ao dia 16 de Junho, a insígnia estará presente num stand próprio e leva uma novidade: um showcooking em parceria com o chef Rodrigo Castelo, em que a uva será o ‘ingrediente estrela’ das receitas.

Chef ribatejano

À frente da escalabitana Taberna Ó Balcão e vencedor, em 2018, do concurso Troféu Portugal, que presta homenagem à gastronomia portuguesa, o chef ribatejano vai preparar para esta ocasião uma geleia picante de uva e confecionar um prato à base de vinagre de uva de fumeiro, produto que tem vindo a desenvolver nos últimos meses em parceria com a Dona Uva.

O showcooking terá lugar no dia 10 de Junho, às 16 horas, no Salão Prazer de Provar, no recinto da feira, no CNEMA – Centro Nacional de Exposições.

“Como ainda não temos produto, uma vez que as uvas Dona Uva apenas são colhidas na época, parece-me interessante criar produtos à base de uva que podem ser conservados durante todo o ano”, explica Rodrigo Castelo, embaixador da cozinha regional ribatejana e considerado “o mais intranquilo dos chefs” da nova vaga.

“Sou um orgulhoso ribatejano e tenho procurado, no meu percurso, recriar as receitas regionais e desenvolver novos produtos com um ADN muito próprio. Interessa-me, por isso, trabalhar com matérias-primas do Ribatejo, com qualidade e sabor. Estando os produtores da Dona Uva localizados nesta região, acaba por ser uma parceria natural”, acrescenta.

Colheita da Dona Uva só em Julho

O início da colheita da Dona Uva está marcado para as últimas semanas de Julho, altura em que a insígnia – distinguida com o Prémio Cinco Estrelas 2019, na categoria Fruta, pela sua frescura, doçura e sabor – estará de volta aos pontos de venda nacionais. Produzida em vinhas ao ar livre, sem recurso a estufas e plásticos, a Dona Uva nasce no Ribatejo e na região do Oeste, nas terras dos produtores associados da Frutalmente, a primeira e única Organização de Produtores (OP) de Uva de Mesa em Portugal.

Até 2022, a Frutalmente está a investir quatro milhões de euros para aumentar a área de produção e modernizar as suas infraestruturas. O objectivo é chegar aos 280 hectares de produção de uva de mesa.

Mário Rodrigues, director-executivo da OP, antecipa a campanha de 2019: “Este ano prevemos aumentar a nossa produção em 20%, para 3 milhões de quilos de uva de mesa, se as condições climatéricas forem mais benéficas que na campanha anterior. Além das variedades mais tradicionais, como a portuguesa D. Maria, temos vindo a alargar o leque de oferta, incluindo uvas sem grainha”.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Agricultores familiares e jovens agricultores vão ter acesso privilegiado a terras do Estado
Próximo Insolvências de empresas sobem 2% em maio

Artigos relacionados

Sugeridas

Documentário | ”La Senda del Azar”, história do olival intensivo

Estreia no dia 25 de junho o documentário “La Senda del Azar” (“O caminho da Sorte”) sobre o cultivo super-intensivo da oliveira. Uma […]

Nacional

Symington. “Vamos transformar ruínas em casas de ‘charme’ no Douro

O enoturismo é a grande área de aposta da Symington, mas sem descurar o vinho do Porto. O CEO do grupo admite alargar a área de vinha comprando parcelas contíguas no Douro. […]

Dossiers

Pinus webcast: a importância da floresta para Portugal, na recuperação económica, na sustentabilidade e na recuperação social e emocional dos portugueses

Ontem, dia 23 de novembro, no Dia da Floresta Autóctone, o Centro PINUS realizou o PINUS Webcast “O Papel da Floresta na Recuperação Económica Nacional”, com o objetivo […]