Distrital de Beja do PSD vê com muita preocupação redução das medidas agroambientais

Distrital de Beja do PSD vê com muita preocupação redução das medidas agroambientais

A Comissão Politica Distrital do Partido Social Democrata vê com muita preocupação a informação do Ministério da Agricultura no que concerne à redução das medidas agroambientais no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) previsto para a campanha agrícola de 2020/2021.

O anúncio foi feito ontem no sentido de informar os agricultores que o Ministério da Agricultura iria assumir os compromissos agroambientais firmados com os agricultores portugueses no âmbito da Politica Agrícola Comum (PAC), mais especificamente no PDR2020 mas apenas para uma única medida ou operação por agricultor, alegando que o faz, “Dado o elevado impacto nos rendimentos das explorações agrícolas e na adoção de boas práticas ambientais, fatores determinantes para a sustentabilidade do setor”.

A maioria dos agricultores portugueses e a grande parte deles com explorações em regime de sequeiro, candidatam-se a várias medidas no sentido de garantirem a sustentabilidade das suas explorações, entre as quais, Modo de Produção Biológico, Manutenção das Raças Autóctones, Modo de Produção Integrada, Apoios Zonais (Rede Natura), sementeira direta, rega eficiente, entre muitas mais, incluindo também medidas silvo-ambientais. As consequências desta decisão vão conduzir não só a perda de rendimento, que é o que o Ministério alega querer mitigar, como a um enorme retrocesso das boas práticas ambientais. Quem está no terreno sabe que desta forma sem a manutenção dos compromissos agro e silvo-ambientais, num ano ou dois podemos perder o trabalho de uma década, especialmente em zonas ambientalmente sensíveis.

É assim que se promove a proteção do ambiente e apoia a agricultura em regiões desfavorecidas?

A manter-se esta decisão por parte da tutela podemos afirmar que a defesa do ambiente, da biodiversidade e o combate às alterações climáticas não são os desígnios pelos quais pautam a sua ação. Bem como se torna claro que desconhece a relevância da agricultura na defesa da coesão territorial, que levou tão recentemente à criação de um Ministério.

A Comissão Politica Distrital está do lado dos agricultores e das associações do sector na defesa da atividade agrícola que é um dos pilares da economia do nosso distrito, bem como em defesa da manutenção das boas práticas ambientais com vista à sustentabilidade ambiental das atividades agrícola, pecuária e silvícola nacionais.

Comente este artigo
Anterior Reduced soil tilling helps both soils and yields
Próximo Oferta de estágio - Retail Manager Trainee - Licenciado em Engenharia Zootécnica ou Alimentar - Faro

Artigos relacionados

Últimas

NEGOTIATIONS FOR THE EU BUDGET: towards a new MFF proposal

Posted on 06/04/2020

The month of March was marked by:
[…]

Internacional

Otoño caliente: el dinero de la PAC en peligro


Se avecina un otoño caliente. También para la PAC y más en concreto para su dinero. El problema está […]

Últimas

Incendiários: pouca ganância, muitas perturbações mentais

Psicóloga da Polícia Judiciária investiga há vários anos as motivações de quem ateia fogo à floresta.
O trabalho que a especialista da Polícia Judiciária Cristina Soeiro desenvolve há vários anos para identificar as principais características dos incendiários portugueses tem contribuído para desfazer o mito que assaca aos madeireiros grandes responsabilidades no fenómeno dos incêndios florestais. […]