Depois da Covid-19, mais uma gripe das aves? A próxima pandemia pode vir dos aviários

Depois da Covid-19, mais uma gripe das aves? A próxima pandemia pode vir dos aviários

Pelo menos oito tipos de gripe aviária estão a circular nos aviários industriais a nível mundial

Ao longo do último ano, relatos têm chegado de diversos países de vírus que circulam nos aviários de produção intensiva, com potenciais consequências graves para os seres humanos. Em dezembro do ano passado, foi na Rússia: 101 mil galinhas num aviário na cidade de Astrakhan começaram a adoecer e a morrer. Testes revelaram que se tratava de uma estirpe relativamente recente do vírus da gripe aviária. Dentro de dias, 900 mil aves tiveram de ser abatidas para evitar uma epidemia.

No entanto, o vírus conseguiu contagiar cinco mulheres e dois homens que trabalhavam no aviário, embora tivessem sofrido apenas sintomas ligeiros. Esta situação era relativamente nova, uma vez que era a primeira vez que aquele vírus – altamente contagioso, e fatal para as aves – fazia a transição de espécies animais para seres humanos.

O vírus em questão é denominado H5N8 – e não é a primeira vez que surgem relatos de este vírus se estar a espalhar entre aves de aviário, como galinhas, patos e perus. Nos últimos anos, o vírus foi identificado em mais de 50 países. Mas o caso de contágio de seres humanos na Rússia foi o primeiro.

As autoridades russas alertaram a Organização Mundial de Saúde (OMS), tendo mesmo a conselheira principal dos consumidores da Federação Russa, Anna Popova, afirmado que exista a probabilidade de o vírus se começar a espalhar entre seres humanos e que deviam ser iniciados de imediato trabalhos para desenvolver uma vacina.

“A descoberta destas mutações, enquanto o vírus ainda não adquiriu capacidades para se transmitir entre seres humanos, dá-nos a todos – em todo o Mundo – tempo para nos prepararmos para as eventuais possíveis mutações e reagir em tempo adequado”, alertou.

Segundo Gwenael Vourc’h, chefe de investigação no Instituto Nacional para a Agricultura, Alimentação e Ambiente da França, os vírus da gripe são conhecidos por evoluírem “muito rapidamente”, e a responsável acredita que pode ter havido outros casos para além dos reportados na Rússia. “Isto é provavelmente a ponta do iceberg”, afirmou, em declarações à Agence France-Presse.

Da China também têm chegado notícias semelhantes. Um outro tipo de vírus da gripe […]

Continue a ler este artigo na Visão.

Comente este artigo
Anterior 5G pode intensificar agricultura de precisão
Próximo Oferta de trabalho - Técnico de Produção Animal - Engenheiro Zootécnico - Ferreira do Zêzere

Artigos relacionados

Sugeridas

Estação Zootécnica Nacional passa a Centro de Excelência para a Agricultura e Agro-indústria

A Estação Zootécnica Nacional (EZN), em Santarém, vai passar a ser ‘Centro de Excelência para a Agricultura e a Agro-indústria (CEAAI)’, […]

Nacional

Zero pede fim de apoios à grande agroindústria e a situações de “iniquidade” laboral

A associação ambientalista Zero criticou hoje a política agrícola portuguesa, considerando-a pouco ambiciosa e defendeu o fim dos apoios à “grande agroindústria”. […]

Últimas

Live-stream: FAO – Talking Plant Health

Join us now to talk plant health with Janet Ellis and FAO’s advocates for the International Year of Plant Health, Diarmuid Gavin and Monty Don. […]