Cultivo de canábis medicinal sujeito a autorização do Infarmed

Cultivo de canábis medicinal sujeito a autorização do Infarmed

[Fonte: Vida Rural]

O cultivo, fabrico e comércio da canábis para fins medicinais será sujeito a autorização da Autoridade do Medicamento (Infarmed) e deve ser atualizada todos os anos. A norma consta da regulamentação da lei da canábis para fins terapêuticos que foi esta terça-feira (15 de janeiro) publicada em Diário da República.

A normativa estabelece que os produtos à base de canábis só podem ser vendidos com prescrição médica, que apenas pode ser passada se os medicamentos convencionais não tiverem os efeitos esperados.

Para além disso, a regulamentação diz que o cultivo e o fabrico dos produtos à base de canábis para fins terapêuticos não são autorizados para uso próprio e que a introdução deste tipo de produtos no mercado exige também uma autorização de colocação no mercado, que deve também ser requerida ao Infarmed, que deve analisar os pedidos num prazo de 90 dias. Esta autorização tem uma validade de cinco anos.

Por outro lado, a lei estabelece que coimas para aqueles que coloquem produtos à base de canábis no mercado sem a devida autorização. As multas podem ir dos 1500 euros aos 3740 euros no caso de pessoas singulares e dos 3000 aos 44 891 euros no caso de pessoas coletivas.

Comente este artigo

O artigo Cultivo de canábis medicinal sujeito a autorização do Infarmed foi publicado originalmente em Vida Rural.

Anterior Glifosato: Especialistas contratados pela UE copiaram relatórios da própria produtora do herbicida
Próximo Jungheinrich Portugal planta 200 árvores e promove a redução do CO2

Artigos relacionados

Ofertas

Oferta de Emprego – Tratoristas/Operadores de Máquinas Agrícolas – Ferreira do Alentejo

A Herdade Vale da Rosa é o maior produtor nacional de uva de mesa com uma área de produção de cerca de 250 hectares na zona de Ferreira do Alentejo e de 13 variedades de uva de mesa de elevada e reconhecida qualidade a nível nacional e internacional, […]

Últimas

PSD defende verbas iguais para regiões ultraperiféricas no pós-2020

A eurodeputada Sofia Ribeiro (PSD) apresentou uma proposta no Parlamento Europeu (PE) a defender a necessidade de se manter no quadro pós-2020 pelo menos o mesmo envelope para o POSEI-Agricultura, programa específico de que beneficiam os Açores.
“A minha posição claramente assumida no documento apresentado no PE, […]

Sugeridas

Mercadona altera relação com fornecedores a pensar nos clientes

[Fonte: O Jornal Económico]
A medida vai ter impacto na forma como a Mercadona se relaciona com os cerca de 1.400 fornecedores para produtos da marca própria da cadeia de supermercados, como a marca “Hacendado”, numa relação pensada para o longo-prazo e para o desenvolvimento de produtos através de co-inovação. […]