Covid-19: Produção de mel sofre quebra entre os 80% a 90% em Vila Pouca de Aguiar

Covid-19: Produção de mel sofre quebra entre os 80% a 90% em Vila Pouca de Aguiar

A Feira do Mel do concelho de Vila Pouca de Aguiar realiza-se este ano com uma dimensão reduzida devido à covid-19 e divulga uma atividade que sofreu uma quebra de produção entre os 80% e 90% neste território.

O certame, promovido pela Câmara de Vila Pouca de Aguiar, arranca na sexta-feira, no parque termal de Pedras Salgadas, e prolonga-se até domingo.

Duarte Marque, da Associação Florestal e Ambiental de Vila Pouca de Aguiar (Aguiarfloresta), disse hoje à agência Lusa que este ano se estima uma quebra na produção de mel que pode ir dos 80% aos 90% neste território do distrito de Vila Real.

Os dados provisórios, acrescentou, apontam para uma produção a rondar os 20 mil quilos.

No ano anterior foram produzidos na ordem dos 150 mil quilos de mel.

Segundo o responsável, os “fatores que levaram à fraca produção foram as alterações meteorológicas”.

Duarte Marques explicou que houve um bom desenvolvimento das colmeias no início da época (março), depois veio muito frio, no fim de março, e chegou a nevar, as colmeias já tinham mel nas alças, mas tiveram que se alimentar para não morrem de fome e comeram essas reservas.

Posteriormente, acrescentou, “veio o calor que secou muito rapidamente o néctar das flores”.

Relativamente aos diversos incêndios que têm ocorrido neste território, nas últimas semanas, Duarte Marques apontou prejuízos num apicultor, que perdeu 90 colmeias para as chamas.

A Aguiarfloresta trabalha com 205 apicultores, com um total de 15.887 colmeias.

Na zona controlada, que corresponde aos concelhos de Ribeira de Pena e Vila Pouca de Aguiar, são apoiadas 8.406 colmeias e 117 apicultores. Os restantes 88 apicultores são de outras regiões.

É para divulgar e promover esta atividade que a Câmara de Vila Pouca de Aguiar realiza há 19 anos a Feira do Mel, na vila de Pedras Salgadas.

“O objetivo desta feira é escoar parte do mel e outros produtos de vendedores desta região. A feira terá uma dimensão mais reduzida porque não podemos ter uma grande afluência de gente e o espaço terá de cumprir todas as normas de higiene”, afirmou Ana Rita Dias, vice-presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar.

A edição 2020 conta com a participação de 24 expositores, entre os quais 13 apicultores, seis de artesanato e cinco de produtos locais, uma participação mais reduzida devido à pandemia de covid-19.

No ano passado, participaram neste certame cerca de 130 expositores.

Para além do mel, a feira divulga ainda o trabalho das dezenas de artesãos locais que trabalham em barro, granito, madeira, ferro e linho.

Comente este artigo
Anterior Cotações – Aves e Ovos – Informação Semanal – 3 a 9 Agosto 2020
Próximo Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 3 a 9 Agosto 2020

Artigos relacionados

Sugeridas

Crédito Agrícola: Banco com pronúncia local é a escolha nacional

[Fonte: Crédito Agrícola]
Banco com Pronúncia local é a Escolha Nacional
O Crédito Agrícola foi eleito pela “Escolha do Consumidor 2019” como melhor Banco, […]

Eventos

A agricultura e o desenvolvimento rural em debate na OERN – 7 de julho

O Colégio de Engenharia Agronómica da Ordem dos Engenheiros da Região Norte (OERN) organiza durante o mês de Julho um ciclo de conferências […]

Nacional

Comissão lança Observatório do Mercado de Frutas e Legumes

A Comissão Europeia lançou oficialmente a 18 de Outubro o novo Observatório do Mercado de Frutas e Legumes. Este recurso vai ser focado em quatro áreas: pomóideas (pêra e maçã), […]