Covid-19: Grupo Sovena fornece apoio e produtos

Covid-19: Grupo Sovena fornece apoio e produtos

No contexto da pandemia da Covid-19, o Grupo Sovena está a realizar várias acções para « apoiar os profissionais de primeira linha e todas as pessoas, que por se encontrarem em situação de fragilidade, estão também mais expostas às consequências do vírus». A entidade – que produz as marcas Oliveira da Serra e Fula em Portugal, Andorinha no Brasil, Fontasol e Flor de Olivo em Espanha e Olivari nos EUA – está a proceder à entrega de apoio financeiro e de produtos a instituições dentro e fora de Portugal, explica um comunicado.

O Grupo Sovena está a prestar apoio à Rede de Emergência Alimentar – «uma iniciativa estruturada a partir do Banco Alimentar de Portugal que visa levar alimentos a quem deles mais carece» –, através de um donativo monetário e de produto, que é extensível aos bancos alimentares de Sevilha, Cáceres e Jaen, em Espanha. A entidade também vai entregar quatro ventiladores ao Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, que é composto pelo Hospital S. Francisco de Xavier, pelo Hospital Egas Moniz e pelo Hospital Sta. Cruz. Este grupo doou ainda sabão Clarim em barra à Associação de Hotelaria de Portugal – «que entregará o produto aos hotéis que estão a funcionar em exclusivo no apoio aos profissionais de saúde» –, aos diferentes hospitais de campanha e ainda para o apoio a várias instituições de famílias vulneráveis ou sem abrigo, através da Câmara Municipal de Lisboa.

Segundo Jorge de Melo, CEO da Sovena, a Páscoa «será passada de forma bem diferente daquilo a que estamos habituados» e «é importante que este tempo seja utilizado para alguma reflexão», sendo que afirma acreditar «que de todas as crises e dificuldades devem ser retirados ensinamentos e que quando tudo passar deveremos estar mais fortes e melhor preparados para o futuro». «Fazemos parte de uma cadeia de valor que não pode parar. Somos, enquanto fornecedores de bens essenciais, uma empresa vital para a sociedade. Para além de estarmos focados em cumprir com o compromisso de levar aos consumidores azeite e óleo alimentar e garantir que nada falte a todos os que diariamente utilizam os nossos produtos, estamos também empenhados em minimizar os efeitos da pandemia. Vivemos hoje um contexto único e sentimos que é nosso dever envolvermo-nos ao máximo na protecção de todos aqueles que estão mais fragilizados e a sofrer directamente os efeitos desta crise», conclui.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Anterior Governo aprovou medidas para trabalhadores em lay-off. Já podem trabalhar em lares e agricultura
Próximo Compras no supermercado: menos frequência, mais volume

Artigos relacionados

Comunicados

Presidente da República condecora CAP como membro honorário da ordem de mérito empresarial

A distinção aconteceu no encerramento do Conselho de Presidentes da CAP que, durante dois dias, reuniu cerca […]

Nacional

ANAC culpa HeliPortugal por atraso na autorização de voo dos helicópteros Kamov

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) culpa a empresa HeliPortugal pelo atraso na autorização de voo dos helicópteros pesados de combate a incêndios Kamov. […]

Últimas

Continente prevê comprar 10 mil toneladas de laranja do Algarve

Um dos produtos mais característicos do Sul do País está em destaque em todas as 274 lojas Continente. Até junho, o Continente só […]