Cotações – Frutos Frescos e Secos – 29 de março a 4 de abril 2021

Cotações – Frutos Frescos e Secos – 29 de março a 4 de abril 2021

FRUTOS FRESCOS – CONJUNTURA SEMANAL – MERCADOS DE PRODUÇÃO

Abacate – No Algarve, a oferta de abacate “Reed” e “Tipo Hass” foi média. Procura média/baixa. Produto com boa qualidade e boa apresentação. Escoamento regular. Cotações estáveis.

Amora – No Alentejo, na área de mercado Odemira, a oferta tem aumentado e a procura externa continuou alta. As cotações aumentaram ligeiramente. O mercado europeu continua a ser abastecido essencialmente com fruta de Marrocos. Este mercado com menos fruta tem permitido alguma estabilização nos preços.

Framboesa – No Alentejo, na área de mercado Odemira, a oferta tem aumentado e a procura externa continuou alta. As cotações (estimadas) não se alteraram. O mercado europeu continua a ser abastecido essencialmente com fruta de Marrocos. Este mercado com menos fruta tem permitido alguma estabilização nos preços.

No Algarve, a oferta de framboesa, categoria I, para exportação, foi ligeiramente baixa e equilibrou a procura. Escoamento regular.

Cotações estáveis. O produto para consumo nacional foi médio e a procura também. Cotações estáveis.

Kiwi – Na Região Norte, na área de mercado Entre Douro e Minho, a oferta foi suficiente para a procura alta. Escoamento sem dificuldades. Saída de Kiwi para Espanha e concorrência de produto importado, oriundo da Grécia e Itália.

Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, a oferta foi suficiente para a procura média. Cotações estáveis. Laranja – Na Região do Alentejo, na área de mercado Vidigueira, a oferta foi suficiente para a procura média. Subida das cotações. Boa qualidade do produto.

No Algarve, damos por terminada a campanha de comercialização da laranja da variedade “Newhall”. A oferta de laranja “Lanelate” foi suficiente para a procura média. Subida das cotações. Boa qualidade do produto. Escoamento regular.

Limão – Na Região Centro, na área de mercado, Montes da Senhora, a oferta de limão foi média (grande parte da produção ficou estragada, devido ao frio verificado em janeiro) e a procura média/baixa. A situação do estado de emergência do país com as respetivas restrições (encerramento dos restaurantes, bares, hotéis e mercados), têm contribuído para a procura baixa. Cotações sem alterações.

No Algarve, a oferta manteve-se média/baixa e foi suficiente para a procura. Escoamento regular. Subida da cotação mínima e da mais frequente. Boa qualidade do produto.

Maçã – Na Região Norte, na área de mercado Douro Sul, a semana foi caraterizada por uma redução de vendas em relação à semana anterior. A procura de maçã da região continua muito ativa nas transações para o mercado nacional e estrangeiro. A oferta foi média e a procura alta em algumas variedades como a “Golden e a Royal Gala”. Oferta escassa de maçã Reineta. Procura fraca de maçã “Red Delicious”. Cotações estáveis. Presença de maçã estrangeira nas grandes superfícies. Os mercados e comércio tradicional continuam a funcionar normalmente.

Na área de mercado Leiria, a oferta diminuiu e foi média/baixa. A procura também tem descido e esteve ligeiramente baixa. Boa qualidade comercial. Fim de stocks de alguns calibres . Alterações de algumas cotações.

Na Região do Ribatejo e Oeste, na área de mercado Oeste, a oferta continuou a satisfazer a procura alta. Oscilações nas cotações.

Meloa – No Algarve, a oferta e a procura ainda foram baixas. Escoamento fraco porque o produto continuou com preços muito altos.

Produto de razoável qualidade e tamanhos médios.

Morango – Na Região Centro, na área de mercado Litoral Centro, a oferta foi forte. Maior disponibilidade de produto. Há campos que duplicaram a disponibilidade, outros reduziram pois ainda são de plantas “velhas”/ fim ciclo (morango de baixo calibre e qualidade). A procura esteve regular a forte, para esta época do ano, apesar da grande concorrência no mercado de produto espanhol. O produto nacional com qualidade é facilmente escoado. Descida das cotações do morango comercializado em cuvetes e da cotação mínima do morango comercializado em caixas.

No Alentejo, na área de mercado Odemira, as cotações do morango desceram. A oferta manteve-se baixa e a procura média/alta. Boa qualidade do produto.

Na Região Ribatejo Oeste, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta foi alta e a procura média. Concorrência de produto espanhol. Descida das cotações do morango calibre pequeno e da cotação máxima do morango calibre grande.

No Algarve, a oferta foi suficiente para a procura média. Produto de qualidade média. Bom escoamento. Cotações estáveis. Nêspera – No Algarve, a oferta e a procura ainda foram baixas. Produto com razoável qualidade. Escoamento pontual. Cotações estáveis.

Pera – Na área de mercado Leiria, a oferta foi baixa e a procura média/baixa. Boa qualidade do produto. Subida das cotações da pera de calibre 60-65 cm.

Na Região do Ribatejo e Oeste, na área de mercado Oeste, a procura continuou alta. Oscilações nas cotações da pera “Rocha”.

Tangerina – No Algarve, terminou a campanha de comercialização de tangerina “Setubalense e Fremont”. A oferta e a procura de tangerina “Ortanique” foram baixas. Escoamento pontual. Descida das cotações da tangerina “Ortanique” de calibre XX (67-78 mm). A oferta de tangerina “Encore” foi média e suficiente para a procura. Produto de qualidade média. Escoamento regular. A oferta de tangerina “, “Murcote”, foi baixa assim como a procura. Boa qualidade do produto. Escoamento pontual.

FRUTOS FRESCOS DE MODO DE PRODUÇÃO BIOLÓGICA – CONJUNTURA SEMANAL – MERCADOS DE PRODUÇÃO

Citrinos – Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, a oferta de limão tem diminuído e a procura manteve-se. Cotações estáveis. A oferta, a procura e as cotações de laranja e tangera, mantiveram-se estáveis.

Maçã e Pera – Na Região centro, na área de mercado Beira Litoral, a oferta de maçã e pera foi escassa. A procura vai descendo acompanhando a oferta. O número de transações foi insignificante e damos por terminada a campanha de comercialização destes produtos. Cotações estáveis.

Morango – Na Região Centro, na área de mercado Beira Litoral, iniciou-se a campanha de produção e comercialização do morango de modo de produção biológico, com a oferta baixa e a procura regular. Com o bom tempo a produção tem aumentado. Cotações em alta.

Na Região do Ribatejo Oeste, na área de mercado Península de Setúbal, a oferta de morango de modo de produção biológico continuou baixa e a procura média, normal para esta época. Cotações estáveis. Boa qualidade.

FRUTOS SECOS E SECADOS – CONJUNTURA SEMANAL – MERCADOS DE PRODUÇÃO

Alfarroba – No Algarve, a oferta de alfarroba “inteira” foi média e a procura alta. Esta situação provocou uma subida das cotações. Bom escoamento. A oferta e a procura da alfarroba “grainha” foram altas. Bom escoamento. Subida das cotações. A oferta de alfarroba “triturado grosso” foi superior à procura baixa. Boa qualidade do produto. Escoamento fraco devido à concorrência de produto de Espanha e Marrocos. Descida da cotação máxima e da mais frequente.

Amêndoa – Na região Norte, na área de mercado Douro, o volume de transações foi ligeiramente inferior e pouco significativo dadas as restrições do confinamento e a semana Pascal. A oferta foi baixa e a procura média/baixa. Cotações estáveis.

No Algarve, a oferta foi baixa e a procura média. Concorrência do miolo espanhol, francês e americano, com preços 5.00/5.20 €/Kg (mais baixos). Cotações estáveis.

Pinhão – No Alentejo, a oferta foi média e a procura média/alta. Consideram-se 4 pinhas, 1 Kg. Cotações estáveis. Pinha – No Alentejo, na área de mercado Alentejo Litoral, a oferta de pinhão foi média e a procura média/alta. Boa qualidade do produto. Cotações estáveis.

→ Aceda aqui às cotações ←

Comente este artigo
Anterior Incêndios: Baixo Sabor inicia projeto intermunicipal de bosques de espécies autóctones
Próximo Cotações - Leite - 29 de março a 4 de abril 2021

Artigos relacionados

Notícias florestas

Governo investe 20 milhões na floresta, 14% já em 2021

Já foi publicado em Diário da República o Plano de Investimentos para os Territórios Florestais sob gestão do ICNF, com 20 milhões de euros para investir na floresta nacional até 2026. […]

Comunicados

Webinar luso-espanhol sobre pecuária extensiva destaca pontos de união

Com mais de 600 inscritos dos dois lados da fronteira, com perguntas pertinentes e apresentações esclarecedoras, o webinar luso-espanhol sobre “A Pecuária Extensiva face aos novos desafios da […]

Dossiers

Douro vive “desastre” nas vésperas da vindima. Setor dos vinhos pede apoio do Estado

O Governo anunciou 15 milhões de euros para apoiar o setor do vinho, mas os viticultores consideram o valor insuficiente, pelo que terão uma reunião […]