Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 13 a 19 Julho 2020

Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 13 a 19 Julho 2020

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas

As cotações médias nacionais de novilhas e de novilhos 12 a 24 meses não se alteraram.

Na região Trás-os-Montes, nas áreas de mercado Terra Fria e Alto Tâmega a oferta foi média/alta e a procura média/baixa.

Fraco volume de negócios. Alguma dificuldade no escoamento de produtos, devido ao baixo consumo. As saídas de animais de raças autóctones continuaram a realizar-se conforme o estabelecido e acordado com as Grandes Superfícies. Continuou a não se verificar qualquer influência de trocas comerciais com outros países no funcionamento do mercado. Nesta região as cotações não se alteraram.

Entre Douro e Minho

Na região Entre Douro e Minho nas áreas de mercado Entre Douro e Minho e Entre Douro e Minho Regional a oferta e a procura foram médias. Escoamento lento devido ao baixo consumo. Continuou a existir concorrência de produto importado, sobretudo, de Espanha a preços inferiores. As vacas de abate refugo continuaram a ser exportadas para Espanha. Manutenção de cotações.

Beira Litoral

Na região Beira Litoral a oferta foi média/baixa e a procura foi média. O mercado nas áreas de Aveiro e de Coimbra manteve-se idêntico às semanas anteriores. Na área de mercado de Viseu a procura aumentou. A venda de carne nos talhos de aldeia aumentou.

A oferta de animais grandes foi superior à procura, mas a de animais com carcaças bem conformadas com pouco peso foi inferior à procura. Os animais com pouco peso continuaram a ser comprados noutras regiões do País, como por exemplo na Beira Interior.

Na área de mercado Viseu as cotações mais frequentes de novilho 12 a 24 meses cruzado de Charolês e a de novilha 12 a 24 meses Turina desceram 0.05 e 0,10 €/kg Peso carcaça, respectivamente, sendo que a cotação mínima do novilho referido desceu 0,10 €/kg Peso carcaça.

Na área de mercado Beira Litoral regional as cotações mínimas de novilhos 12 a 24 meses Cruzado Charolês e Turina desceram 0,10 e 0,20 €/kg Peso carcaça, respectivamente. Manutenção de cotações em todas as áreas de mercado excepto as referidas.

Beira Interior

Na região Beira Interior nas áreas de mercado Beira Interior Regional e Castelo Branco a oferta e a procura foram médias, isto é, houve equilíbrio. Na área de mercado Guarda a oferta foi média/alta e a procura foi média.

Na área de mercado Castelo Branco os produtores que vendiam para os restaurantes continuaram a vender pouco devido à fraca afluência dos clientes. Apesar do desconfinamento as pessoas continuavam a ter receio do contágio da Covid-19.

Os produtores que tinham contrato com as Grandes Superfícies continuaram a entregar as peças contratualizadas. A quantidade de produto vindo de Espanha influenciava os preços na área de mercado Guarda. Houve manutenção de cotações dos diferentes produtos em todas as áreas de mercado.

Ribatejo e Oeste

Na região Ribatejo e Oeste, nas áreas de mercado Ribatejo Oeste Regional e Ribatejo a oferta foi média e a procura foi média/baixa. A procura continuava fraca tendo-se verificado uma diminuição de consumo de carne de bovino. Não houve alteração de cotações.

Alentejo

Na região Alentejo nas áreas de mercado Alentejo Litoral, Estremoz, Beja e Elvas a oferta e a procura foram médias. Na área de mercado Évora a oferta foi média/alta e a procura foi média/baixa. Na área de mercado Alentejo Norte a oferta foi média e a procura foi média/baixa

Na área de mercado Alentejo Litoral a cotação mínima de novilha 12 a 24 meses, cruzada Charolês, diminuiu 0,10 €/kg Peso carcaça.

Na área de mercado Évora as cotações máximas de novilho e novilha 12 a 24 meses Cruzados Charolês diminuíram 0,05 €/kg Peso carcaça, as cotações máximas de vitela e vitelo 6 a 8 meses cruzados Charolês diminuíram 0,10 €/kg Peso vivo, sendo que a cotação mínima de vitela diminuiu 0,22 €/kg Peso vivo. Nesta área de mercado (Évora) a cotação máxima de vaca de abate cruzada de Charolês baixou 0,10 €/kg Peso carcaça e a cotação mais frequente de vitelão fêmea 8 a 12 meses cruzada Charolês aumentou 25 €/unidade.

Nas áreas de mercado Alentejo Regional e Évora as cotações, máxima e mais frequente, de vitelão macho 8 a 12 meses cruzado Charolês diminuíram 50 e 25 €/unidade, respectivamente.

Nas áreas de mercado Alentejo Regional, Beja e Estremoz a cotação máxima de vitelo, 6 a 8 meses, cruzado Charolês diminuiu 0,10 €/kg Peso vivo.

Na área de mercado Beja as cotações, mínima e máxima, deste vitelo baixaram o mesmo valor. Na área de mercado Beja as cotações, mínima e mais frequente, de vitela, 6 a 8 meses, cruzada Charolês diminuíram 0,10 €/kg Peso vivo.

Houve manutenção de cotações dos diferentes produtos em todas as áreas de mercado, excepto as referidas.

A tendência da Bolsa de Bovino-Montijo foi de manutenção de cotações.

Todas as cotações aqui.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar - Cotações.

Comente este artigo
Anterior Incêndios: Risco máximo e muito elevado no interior Norte e Centro
Próximo Oferta de emprego - Técnico de Gestão de Contratos - Agrónomo - Lisboa

Artigos relacionados

Últimas

Encontro Regadio 2019- XII Jornadas FENAREG- 50º Aniversário do Aproveitamento Hidroagrícola do Mira

Mais de 150 participantes debateram a 6 e 7 de Novembro, em Odemira, o papel da água no desenvolvimento rural […]

Nacional

Conferência “Agricultura com Futuro: Hoje!” em Idanha-a-Nova

[Fonte: GazetaRural]
O Centro Cultural Raiano, em Idanha-a-Nova, vai receber nos dias 21 e 22 de outubro a conferência “Agricultura com Futuro: Hoje!”. […]

Nacional

Seminário em Alcobaça sobre controlo de aranhiço vermelho em fruticultura

A Estação Nacional de Fruticultura Vieira Natividade, do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, situada em Alcobaça, vai acolher um seminário sobre estratégias de controlo do aranhiço vermelho em fruticultura. […]