Cortiça portuguesa na Bienal de Veneza

Cortiça portuguesa na Bienal de Veneza

Corticeira Amorim em parceria com Leonor Antunes, que representa Portugal na 58ª edição da Exposição Internacional de Arte, e com o designer espanhol Nacho Carbonell

A cortiça portuguesa marca presença na Bienal de Veneza. Leonor Antunes criou um piso de cortiça com desenhos de Carlo Scarpa para o Palazzo Giustinian Lolin, onde está instalado o Pavilhão de Portugal na 58ª edição da bienal, que decorre até 24 de novembro, e Nacho Carbonell, designer espanhol, apresenta a instalação Inside a Forest Cloud Chandlier no Ca’ d’Oro, um dos mais destacados e concorridos palácios do Grand Canal. Recorre a granulado projetade de cortiça para criar texturas no topo das diversas árvores que compõem esta floresta de luz.

“A cortiça enquanto matéria-prima tem sido trabalhada por artistas de forma muito interessante, sob várias vertentes. Cativados pelas suas características enquanto matéria natural, renovável e sustentável, designers e arquitetos expressam a partir dela a sua criatividade, desde conceitos visuais que remetem à natureza – como é o caso de “Inside a Forest Cloud” de Nacho Carbonell, ou que sustentam o resultado de reflexões artísticas – como é o caso de “a seam, a surface, a hinge, or a knot” de Leonor Antunes. É uma honra poder colaborar em iniciativas desta relevância e notoriedade”, destaca a administradora da Corticeira Amorim, Cristina Amorim, em comunicado.

A 58ª edição da Exposição Internacional de Arte – La Biennale di Venezia tem como lema May You Live In Interesting Timese curadoria de Ralph Rugoff, diretor da Hayward Gallery de Londres. Na visão do curador, May You Live In Interesting Times “tem como objetivo dar as boas-vindas ao público para uma experiência expansiva de profundo envolvimento, assimilação e aprendizagem criativa que a arte nos proporciona”, pois “talvez a arte possa oferecer orientações que nos ajudem a viver e pensar nesses ‘tempos interessantes’”.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

O artigo foi publicado originalmente em Dinheiro Vivo.

Comente este artigo
Anterior Cotações – Ovinos e Caprinos – Informação Semanal – 27 Maio a 2 Junho 2019
Próximo Governo apoia resineiros na vigilância da floresta

Artigos relacionados

Ofertas

Oferta de emprego – Técnico de Viticultura – Agrónomo

O Técnico de Viticultura terá como principal responsabilidade a participação nas atividades relacionadas com a vinha, em Modo de […]

Últimas

PAN quer proibição dos artefactos para captura de aves silvestres e suspender caça da rola-comum

O PAN (Pessoas- Animais-Natureza) defende interdição do fabrico, posse, utilização e venda de artefactos utilizados para a captura de aves silvestres não sujeitas a exploração cinegética. […]

Últimas

Festival do Vinho do Douro Superior reafirma identidade da região

O Festival do Vinho do Douro Superior (FVDS) assinala a sua 8.ª edição, com data marcada para os dias 17, 18 e 19 de maio de 2019. […]