Corteva Agriscience apresenta plano de expansão da gama de produtos naturais Spinosyns

A Corteva Agriscience, empresa líder no sector agrícola em tecnologia aplicada a sementes, protecção de culturas e agricultura digital, anunciou a aprovação, por parte do seu conselho de administração, de um investimento de 131,6 milhões de euros na unidade de produção que a empresa possui em Midland (Michigan), com o objectivo de expandir a sua capacidade global e responder à elevada procura de tecnologias de controlo de insectos no mercado de produtos naturais.

O projecto de capacitação foi iniciado como resposta ao sólido crescimento da procura de produtos Spinosyns da Corteva, uma gama que inclui soluções de origem natural através de um processo patenteado de fermentação que oferece aos agricultores possibilidades eficazes e sustentáveis de controlo dos insectos.

Prémio Green Chemistry Challenge

Entre estes produtos estão os formulados com os ingredientes activos Spinetoram e Spinosad, duas soluções que receberam o prémio Green Chemistry Challenge, por parte da Agência de Protecção Ambiental dos Estados Unidos. Este reconhecimento é concedido às soluções inovadoras que implementem os princípios da química sustentável em termos de desenho, fabrico e utilização.

“Este anúncio revela o nosso compromisso com a tomada de acções específicas que beneficiem os nossos clientes e contribuam para impulsionar resultados sustentáveis para o negócio”, declarou Susanne Wasson, presidente da área de Protecção de Culturas da Corteva Agriscience a nível mundial.

Adicionalmente, afirmou que “este investimento permite que a Corteva preste um melhor serviço aos nossos clientes a nível mundial, através da expansão do acesso a soluções de grande procura para o controlo de insectos”.

Uma aposta de futuro nos produtos naturais

A nova unidade de produção está preparada para a sua implementação nos próximos anos e permitirá que a Corteva aumente a sua capacidade actual de Spinosyns em cerca de 30%. Pretende satisfazer assim as necessidades dos clientes nos mais de 100 países em que se vendem estas soluções para a sua utilização, aplicáveis a mais de uma centena de diferentes culturas. Espera-se que este investimento gere mais de 100 milhões de dólares de EBITDA anual para a Corteva.

Actualmente, a Corteva, enquanto única empresa de capital aberto 100% agrícola do sector a nível mundial, é líder do mercado global e tem uma posição privilegiada na indústria dos insecticidas de origem natural, o que sublinha o compromisso da empresa com a sustentabilidade através da gestão eficaz no controlo de insectos.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Idanha captou 60 Milhões de Euros para projetos de base rural
Próximo Negociações do próximo orçamento europeu não podem dividir a Europa, alerta Marcelo

Artigos relacionados

Últimas

#Jornadas INTERACT reúnem investigadores e empresários


Está quase a chegar a quarta edição das #Jornadas INTERACT. O evento, promovido pelo projeto científico INTERACT (“Integrative Research in Environment, […]

Últimas

Na Índia, tocam-se buzinas e cornetas para afastar gafanhotos

Face à falta de pesticidas, devido à pandemia de Covid-19 (que reduziu as importações), as autoridades optam por medidas alternativas para […]

Sugeridas

Como foi o ano de 2017 na lente do Agroportal

O Agroportal despede-se do ano de 2017 com uma retrospectiva dos temas mais relevantes para a comunidade de leitores do Agroportal. […]