Corte para Portugal na Política de Coesão chega aos 1,6 mil milhões em 2021-2027

Corte para Portugal na Política de Coesão chega aos 1,6 mil milhões em 2021-2027

[Fonte: ECO]

Portugal vai receber menos 1,6 mil milhões de euros de fundos da Política de Coesão no período 2021-2027, face ao atual e a preços de 2018, segundo um relatório publicado esta quinta-feira pelo Tribunal de Contas Europeu (TCE).

Num relatório de exame rápido, Portugal tem um rendimento nacional bruto inferior a 82% da média da União Europeia (UE) – a par de outros 11 Estados-membros, grupo que viu o coeficiente aplicável ser reduzido dos atuais 3,15% para 2,8%, o que implica um corte de cerca de 7% nos fundos da Política de Coesão no próximo quadro financeiro plurianual (QFP).

Dos 27 Estados-membros (o Reino Unido já não é considerado), sete veem subir as dotações face ao QFP vigente, outros seis mantêm o mesmo nível e os restantes sofrerão cortes orçamentais.

No total, a dotação para Portugal no próximo orçamento plurianual é de 23,8 mil milhões de euros, sendo a maior fatia (11,5 mil ME) proveniente do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), que visa reforçar a coesão económica e social na UE.

No Fundo Social Europeu Mais (FSE+) está prevista uma verba de 7,57 mil milhões de euros, que se destinam a criar oportunidades de formação e emprego e melhorar a situação das pessoas em risco de pobreza.

O Fundo de Coesão prevê, para Portugal, uma dotação de 4,4 mil milhões, destinada a reduzir as disparidades económicas e sociais através do financiamento de investimentos nos Estados-membros em que o rendimento nacional bruto ‘per capita’ é inferior a 90% da média da UE.

A Comissão Europeia propôs que, no próximo período de programação de 2021-2027, a UE dedicasse 373 mil milhões de euros à Política de Coesão, concebida para reduzir a distância entre regiões ricas e pobres na UE. O financiamento desta política é canalizado através de três fundos: FEDER, com um total de 216 mil milhões de euros, o FSE+ (100 mil ME) e o Fundo de Coesão (46,6 mil ME).

O TCE esclarece que os exames rápidos de casos não recorrem a novos trabalhos de auditoria nem formulam novas constatações e recomendações de auditoria, limitando-se a apresentar factos sobre temas específicos.

Comente este artigo

O artigo Corte para Portugal na Política de Coesão chega aos 1,6 mil milhões em 2021-2027 foi publicado originalmente em ECO

Anterior Auchan lança em Portugal serviço de vegetais «km zero»
Próximo Bio-Região de Idanha vai mostrar estratégia pioneira na Feira AGRO

Artigos relacionados

Últimas

Dia de Campo – InovMilho 2017 – 26 de Setembro 2017 – Coruche

Anpromis apresenta o vídeo do Dia de Campo que  promoveu, passado dia 26 de Setembro, no âmbito do InovMilho 2017.

Durante esta iniciativa, que reuniu cerca de 240 convidados, foi assinado um protocolo para criação de um espaço de formação e demonstração para a cultura do milho entre a Câmara Municipal de Coruche e o INIAV. […]

Comunicados

Adubos tecnológicos ADP assumem nova dimensão: Fertiberia TECH

30 de novembro de 2018
O projeto de desenvolvimento dos adubos tecnológicos ADP TECH assume agora uma maior dimensão e passa a chamar-se Fertiberia TECH, designação que doravante acompanhará todo o negócio dos produtos tecnológicos do grupo Fertiberia.
A ADP Fertilizantes e Fertiberia reúnem assim, esforços de investigação e marketing, […]

Últimas

INE contrata técnicos para o Recenseamento Agrícola 2019

[Fonte: Revista Frutas Legumes e Flores]

Estão abertas até 14 de Maio as candidaturas de técnicos superiores, no âmbito do Recenseamento Agrícola 2019, para várias regiões do País. O Instituto Nacional de Estatística indica que pretende recrutar 220 técnicos superiores para esta iniciativa. […]