Consumidores querem marcas sustentáveis

Consumidores querem marcas sustentáveis

81% dos consumidores europeus defendem que as marcas devem apostar na implementação de iniciativas sustentáveis. A conclusão é do estudo ‘Evolving Sustainability’, da Nielsen, que revela que apesar de estarem dispostos a mudar os seus hábitos de consumo, os consumidores esperam também mudanças da parte das marcas.

“O cenário traçado é de enormes consequências, particularmente associadas à utilização de plástico – produzimos anualmente mais plástico do que o peso conjunto da população global e até 2050 é esperada uma maior quantidade de plástico do que de peixe nos oceanos”, diz a consultora.

81% dos consumidores afirmam que é importante que as marcas implementem programas que melhorem o meio ambiente, contudo, o nível de preocupação ainda difere entre gerações. 85% dos Millennials (21-34 anos) afirmam firmemente que as empresas devem empenhar-se em melhorar o ambiente, contra 72% dos Baby Boomers (50-64) e 65% da Silent Generation (65+).

“A sustentabilidade chegou ao consumo e as exigências são cada vez mais alargadas. Na Europa, segundo este relatório da Nielsen, os consumidores assumem que variáveis como a responsabilidade social da marca, o carácter reutilizável/reciclável das embalagens e a transparência da informação impactam a sua decisão de compra ou experimentação, incentivando a inovação”, diz ainda a Nielsen.

Além disso, entre 30 a 40% dos consumidores europeus revelam estar dispostos a pagar mais produtos que cumpram com determinadas normas de sustentabilidade, o que mostra que a sustentabilidade ainda é associada a valores premium.

Ana Paula Barbosa, Retailer Vertical Director da Nielsen Portugal, afirma que “em Portugal, o cenário é semelhante e acompanha as tendências globais mais emergentes: 85% dos portugueses assumem que o suporte das empresas a causas ambientais impacta a sua decisão de compra. São por isso várias as oportunidades que se abrem às marcas face a este desafio. A capacidade para implementar iniciativas sustentáveis vai impulsionar o crescimento de vários mercados, à medida que cresce a procura por uma oferta que responda a este tipo de preocupações e que as marcas locais fazem uso desta tendência para potenciar as suas vendas. Esta é também uma oportunidade única para a inovação, visto que constitui um enorme fator de experimentação de novas marcas ou produtos”.

“Neste contexto, a influência das marcas sustentáveis vai aumentar, à medida que as marcas continuam a implementar esforços na sustentabilidade, o setor público reconhece empresas que contribuem para esta mudança e os consumidores recompensam as marcas que os deixam a si, às suas famílias e ao mundo mais seguros”, conclui.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Anterior Empresa romena procura fornecedores de doces e café
Próximo Menor produção forrageira. Prados e pastagens de sequeiro estão secos

Artigos relacionados

Últimas

Se o mundo aquecer dois graus, os Verões serão mais extremos

Afinal, não nos esperam apenas Verões com fenómenos meteorológicos extremos mais intensos e frequentes, mas também mais duradouros. De acordo com um estudo publicado esta segunda-feira na revista Nature Climate Change, […]

Últimas

Corteva Agriscience™ patrocina Farming Simulator League

A Corteva Agriscience, empresa líder no setor agrícola na tecnologia aplicada a sementes, proteção das culturas e agricultura digital, […]

Notícias fitofarmacêuticos

Avisos Agrícolas 15/01/2020: Vinha, Kiwi, Pequenos frutos, Citrinos, Maçã, Nespereira, Prunóideas, Castanheiro, Nogueira, Batateira, Tomate e Cebola

O Serviço de Avisos Agrícolas é um serviço nacional do Ministério da Agricultura que tem por finalidade emitir avisos agrícolas. […]