Concentração de delegações de Agricultores lesados pelos Javalis e outros animais selvagens.

Concentração de delegações de Agricultores lesados pelos Javalis e outros animais selvagens.

[Fonte: CNA] Quarta-Feira, 31 de Julho de 2019. Frente ao Ministério da Agricultura

As Delegações (Região Centro) de Agricultores lesados pelos Javalis e por outros Animais Selvagens, hoje concentradas, com o apoio da CNA e Filiadas – ADACO – BALAGRI – UADL – frente ao Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, em Lisboa, reiteram:

As populações desses animais continuam fora de controlo em extensas Regiões.

A dimensão e as más consequências da situação mantêm-se pelo que também se mantém a urgência em atacar o problema dos enormes prejuízos causados à Agricultura Familiar em especial por Javalis, e que têm devastado Hortícolas, Milharais, outros Cereais, Pomares, Estufas, Olival, Vinhas, Soitos, mesmo Floresta nova. E também devem ser tidos em conta problemas idênticos provocados, nalgumas Regiões, por Veados e Corças.

No plano institucional e de Órgãos de Soberania, a Assembleia da República aprovou – no Plenário do passado dia 20 de Julho – uma “Resolução” em que recomenda ao Governo o rastreamento das populações de Javalis e seu controlo sanitário bem como indemnizações a atribuir aos Agricultores Familiares pelos prejuízos.

Sendo verdade que os animais precisam de comer, também é verdade que os Agricultores não podem ser “condenados” a garantir-lhes a alimentação e a ficarem com os enormes prejuízos causados pela destruição das suas Culturas.

Há muitos pequenos e médios Agricultores, bastante prejudicados por essas “pragas”, a assumir que não vão poder continuar a (tentar…) produzir, o que também implica a redução da produção agrícola regional e nacional.

Há o perigo real de se precipitarem problemas graves com a (falta de) Sanidade destes animais, com destaque para a peste suína africana a partir dos Javalis.

No contexto, o Governo não cumpriu, atempadamente e com eficácia, as suas obrigações institucionais como a determinação e controlo da densidade das espécies em causa e a garantia de que terceiros tomassem medidas concretas para a correcção do descontrolo das populações desses animais, medidas que, aliás e por norma, devem ser previamente aprovadas pelo ICNF.

Aliás, noutro plano embora, é ainda preciso definir responsabilidades – também aqui, sobretudo, o pagamento de indemnizações – perante os muitos acidentes rodoviários que os animas selvagens provocam ao atravessarem subitamente vias de comunicação.

– Reclamações –

Apela-se para que haja respostas concretas e imediatas às reclamações que se reapresentam, uma vez que o problema se arrasta desde há já muito tempo, sendo que, e repete-se, a situação atingiu, no terreno, uma dimensão e um descontrolo tais que em primeiro lugar ao Ministério da Agricultura e ao Governo compete tomar as medidas adequadas e eficazes com a mobilização dos meios públicos para isso indispensáveis.

Assim, e de entre outros apoios, reclama-se:

  • A atribuição de “indemnizações” aos lesados, a definir de forma expedita e desburocratizada a partir de testemunhos práticos e do levantamento e de prejuízos, a fazer, designadamente, pelos serviços do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e do ICNF.
  • O controlo da densidade, da capacidade reprodutiva e da mobilidade das populações destes animais selvagens, com destaque para os Javalis, bem como o controlo do seu estado sanitário. Isso recomenda a elaboração, urgente mas participada, de “Planos Públicos de Contingência” para esses efeitos com medidas a organizar e a executar pelo MADFR e pelo ICNF, ouvidos os Parceiros envolvidos, no terreno.
  • Alteração do Decreto-Lei nº 2/2011, de forma a responsabilizar o MAFDR pela situação onde esta ficar fora de controlo e para gerir casos de eventuais incumprimentos por parte de terceiros envolvidos.

Assinale-se que a 17 de Abril deste ano, a CNA, Filiadas e “Comissões de Lesados pelos Javalis e outros Animais Selvagens” fizeram entrega ao Senhor Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, de um documento sobre este grande problema da Lavoura por causa dos prejuízos causados pelas “pragas” de Javalis e outros, documento que, entretanto, não mereceu resposta por parte do mesmo Ministro.

De facto, a situação está fora de controlo e os prejuízos estão sempre a acontecer.

Assim, voltamos a insistir na obtenção de uma resposta, favorável às nossas pretensões, por parte do Senhor Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e do Governo.

Lisboa, 31 de Julho de 2019.

– As Comissões de Agricultores Lesados pelos Javalis e outros Animais Selvagens –

– CNA – ADACO – BALAGRI – UADL –

→ Documento entregue ao MAFDR ←

Comente este artigo
Anterior Motoristas: CNA alerta para prejuízos e apela a reforço do gasóleo verde durante a greve
Próximo Genetically Modified Organism's Food Market will grow at a compound annual growth rate (CAGR) of 3.2% by the end of 2021-Research Nester

Artigos relacionados

Comunicados

Press release – Plant health: MEPs step up fight against influx of pests to the EU

New rules to curb the growing influx into the EU of plant pests, such as olive grove killer Xylella fastidiosa, and better equip member states to tackle their spread, […]

Comunicados

1º Encontro do Conselho Científico do Clube de Produtores Continente

No dia 5 de junho, no Estúdio Tejo do Centro Nacional de Exposições e no âmbito da Feira Nacional de Agricultura – Santarém, terá lugar o 1º Encontro do Conselho Científico do Clube de Produtores Continente […]

Comunicados

Federação Agrícola dos Açores presente em Bruxelas

A Federação Agrícola dos Açores informa que irá estar presente em Bruxelas nos próximos dias 25 e 26 de junho, conjuntamente com várias instituições pertencentes às regiões ultraperiféricas da União Europeia, para defender e salvaguardar o programa Posei, […]