Comissão Europeia deixa orientações para proteção de trabalhadores sazonais na UE

Comissão Europeia deixa orientações para proteção de trabalhadores sazonais na UE

A Comissão Europeia apresentou, na passada quinta-feira, dia 16 de julho, orientações dirigidas às autoridades nacionais, às inspeções do trabalho e aos parceiros sociais, para assegurar a proteção dos trabalhadores sazonais na UE, no contexto da pandemia de coronavírus, por forma a garantir que conhecem os seus direitos.

“Todos os anos, centenas de milhares de trabalhadores sazonais contribuem para apoiar setores extremamente importantes da economia da UE, como os setores alimentar e agrícola. A pandemia de coronavírus trouxe à luz o problema das condições de trabalho e de vida muito difíceis enfrentadas por estes trabalhadores. É necessário resolver este problema. As nossas orientações são uma chamada de atenção para os Estados-Membros e as empresas, para que se assegurem de que estão a cumprir os seus deveres de proteção de trabalhadores indispensáveis, mas vulneráveis”, refere Nicolas Schmit, comissário responsável pelo emprego e os direitos sociais.

Outros pontos são as aborda são as condições de vida e de trabalho adequadas, incluindo distanciamento físico e medidas de higiene apropriadas, a comunicação clara aos trabalhadores dos direitos que lhes assistem, o trabalho não declarado e a segurança social.

As orientações da comissão apelam às autoridades nacionais e aos parceiros sociais para que empenhem esforços renovados para garantir a correta aplicação e execução das regras. As recomendações e sugestões concretas da comissão abrangem insistir com os Estados-Membros para adotarem todas as medidas para garantir condições de vida e de alojamento dignas para os trabalhadores sazonais e que reforcem a sensibilização sobre os requisitos de segurança e saúde no trabalho (SST) que afetam estes trabalhadores, ajudando os empregadores a cumprir os requisitos legais pertinentes e a fornecer informações claras numa língua que os trabalhadores compreendam.

Além disso, os Estados-Membros devem reforçar as inspeções no terreno, para garantir a correta aplicação das regras de SST para os trabalhadores sazonais.

Segundo dados da Comissão, mais de 17,6 milhões de cidadãos da UE vivem ou trabalham num Estado-membro diferente da sua nacionalidade.

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior Associação de enotorismo pretende regulamentar atividade
Próximo Conselho Europeu aprova acordo comercial com China que abrange vinho do Porto

Artigos relacionados

Nacional

Todo o potencial da cultura da Stevia

Mais doce que o açúcar, e sem calorias, a Stevia começa a ser alvo de um interesse cada vez maior por parte dos consumidores e, […]

Sugeridas

Declaração de Existências de Suínos (DES) – Período obrigatório – agosto 2020

Durante o mês de AGOSTO, decorre mais um período obrigatório de Declarações de Existências de Suínos (DES), conforme Aviso […]

Últimas

Novas ações de sensibilização no Mercado Municipal de Proença-a-Nova nos dias 8 e 22 de Agosto

O Município de Proença-a-Nova dinamizou esta quinta-feira, 25 de julho, a primeira de três ações de sensibilização junto dos clientes do Mercado Municipal para que reduzam a utilização de sacos de plástico e reutilizem sacos produzidos noutros materiais, […]