Centro de Inovação e Competências da Floresta lembra que medidas de adaptação “são a única forma de fazer face às alterações climáticas”

Centro de Inovação e Competências da Floresta lembra que medidas de adaptação “são a única forma de fazer face às alterações climáticas”

Para marcar o Dia Internacional das Florestas, que se celebra a 21 de março, o SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta quer chamar à atenção da sociedade civil para a necessidade de “defender e promover a gestão sustentável das florestas através da implementação de medidas de adaptação às alterações climáticas.”

De acordo com o SerQ, “as alterações climáticas constituem um desafio global com impactos ambientais, económicos e sociais. O combate às mudanças climáticas através do reforço da capacidade de adaptação é um objetivo prioritário da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, o qual implicará uma abordagem estruturada para prevenir e/ou reduzir futuros riscos, bem como explorar potenciais benefícios.”

Sofia Knapic, do Centro de Inovação e Competências da Floresta, explica ainda que “as alterações climáticas, que se têm manifestado de forma cada vez mais intensa, colocam-nos futuros desafios no que respeita à qualidade da madeira disponível para o uso industrial, nomeadamente alterações nas suas propriedades, mas também na disponibilidade em quantidade das diferentes espécies que abastecem as nossas indústrias florestais.”

O SerQ recorda ainda que “as florestas são particularmente vulneráveis às alterações climáticas, pelo que é fundamental promover o envolvimento alargado de todos os agentes sectoriais, como sejam os produtores florestais e suas organizações, a comunidade científica, as empresas e indústrias do sector e administração pública. A complexidade dos fenómenos climáticos e da sua interação com as florestas confere à comunidade científica um papel determinante na criação do conhecimento necessário para suportar as decisões.”

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior Açores e Madeira assinam texto sobre Política Agrícola Comum no pós-2020
Próximo Mais de 100 bombeiros e cinco meios aéreos combatem incêndio em Castro Daire

Artigos relacionados

Sugeridas

Capoulas Santos atribui campanha contra agricultura intensiva “àqueles que são contra o desenvolvimento” do Alentejo

O ministro Capoulas Santos disse à Rádio Campanário que o Governo “fica muito surpreendido” com o discurso alarmista utilizado por ambientalistas […]

Nacional

Governo faz ultimato de 30 dias a fundos europeus parados

O secretário de Estado do Planeamento adianta que o Executivo deu 30 dias para as empresas que têm fundos comunitários parados regularizarem a situação. […]

Nacional

Mais de 40 concelhos de nove distritos em risco máximo de incêndio

O IPMA colocou vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental em risco muito elevado e elevado de incêndio.
Este risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, […]