Centenas de agricultores exigem em Lisboa uma política agrícola justa

Centenas de agricultores exigem em Lisboa uma política agrícola justa

Várias centenas de agricultores manifestaram-se hoje, em Lisboa, reivindicando uma Política Agrícola Comum (PAC) mais justa e adequada às necessidades do setor, que desenvolva as zonas rurais e promova os circuitos curtos de comercialização.

Os agricultores saíram à rua na véspera da reunião informal dos ministros da Agricultura e do Mar da União Europeia (UE), concentrando-se, pelas 15:40, na Junqueira, em Lisboa, tendo seguido, posteriormente, em direção ao Centro Cultural de Belém (CCB), centro logístico da presidência portuguesa do Conselho da UE, ao som de bombos e chocalhos.

“A principal razão que nos fez vir hoje a Lisboa prende-se com a reforma da PAC que, por aquilo que vamos conhecendo, vai continuar a provocar a eliminação de pequenos e médios agricultores. O que nós vemos é que esta PAC vai continuar a ter uma política de preços baixos”, afirmou o dirigente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Pedro Santos, em declarações à Lusa.

Os agricultores reclamam uma PAC que desenvolva a agricultura familiar, as zonas rurais e promova os circuitos curtos de comercialização.

De acordo com Pedro Santos, tal só será possível tendo na base os pequenos e médios agricultores.

Para a confederação, a nova política agrícola vai continuar a ser muito semelhante à anterior, tendo em conta que o funcionamento do mercado e o rendimento dos agricultores não vão sofrer alterações.

“Desde que integrámos a União Europeia, desapareceram mais de 400.000 explorações agrícolas. Há que alterar este número e ajudar os agricultores a manter a sua atividade. Apenas queremos vender os nossos produtos a preços justos”, apontou.

O dirigente da CNA lamentou ainda que os apoios da PAC estejam “muito mal distribuídos, com 7% dos agricultores a receberem 70% das ajudas”, sobretudo, para a grande agricultura, industrial e intensiva.

Os agricultores reivindicam ainda a adoção de um “pagamento uniforme” por hectare nas ajudas diretas, o aumento do regime da pequena agricultura para 1.000 euros em 2022, bem como a sua subida progressiva até 1.250 euros em 2023, a prorrogação dos compromissos da medida de apoio à produção integrada e a criação de um pagamento ligado aos cereais.

A par da PAC, o setor quer ser indemnizado pelos prejuízos causados por animais selvagens, como javalis, e pelas intempéries, mais apoios para mitigar o impacto da pandemia de covid-19, medidas de apoio à redução dos custos de produção, o reforço financeiro do aviso para a modernização dos tratores e a concretização do estatuto da agricultura familiar.

A CNA exige ainda que o Governo cumpra a lei e realize eleições para a Casa do Douro.

Presente na manifestação esteve também o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, que demonstrou uma “solidariedade muito grande com estes homens e mulheres que não param”.

O líder do Partido Comunista, que falava aos jornalistas, defendeu que estes trabalhadores “mereciam outra consideração por parte do Governo, que continua com o vício repetido, com as ajudas direcionadas para os grandes senhores do agronegócio, enquanto os pequenos e médios agricultores continuam com dificuldades tremendas”.

Jerónimo de Sousa disse, por outro lado, que o executivo está hoje em condições de concretizar medidas de apoio “na fatura do gasóleo verde, em que 20% do preço da fatura é descontado para aqueles que tiverem menos de 50 hectares e 10% para os que tiverem mais de 50 hectares e 80 cabeças de gado”.

A conclusão da reforma da PAC até ao final de junho é um dos objetivos da presidência portuguesa.

Por uma PAC mais justa e solidária em defesa da agricultura familiar e do mundo rural mais de mil agricultores em luta

Comente este artigo
Anterior Live: Características da carne e do leite de caprinos em função do sistema de produção - 14 de junho
Próximo Exportação de gado vivo pressiona desflorestação da Amazónia no Brasil

Artigos relacionados

Opinião

Je suis…Greta – Ricardo Freixial

A União Europeia através das reformas da PAC, possui incentivos aos agricultores para fornecerem serviços ambientais, disponibilizando aos […]

Dossiers

Cotações – Cortiça – Informação Semanal – 23 a 29 Setembro 2019

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas
Conjuntura semanal
Na semana em análise, prosseguiram as campanhas nas áreas de mercado Alentejo e Trás-os-Montes, […]

Nacional

Web Summit: Londres pisca o olho empresas com soluções sustentáveis

Há meses que os olhos estão postos em Londres e Bruxelas por causa do Brexit. Sem, pelo menos para já, um desfecho claro sobre quando o Reino Unido vai sair da União Europeia, […]