CDS Madeira quer dar preferência aos produtos alimentares da Região nas escolas, lares e hospitais

O presidente do CDS Madeira e candidato ao Governo Regional, Rui Barreto, diz que se vencer as eleições de 22 de Setembro, quer dar prioridade aos produtos alimentares regionais, sob a Marca Madeira.

Em declarações ao agriculturaemar.com, Rui Barreto explica que uma das propostas do partido, “que é uma bandeira do CDS, até já está aprovada, faltando apenas a sua regulamentação, passa por priorizar a aquisição de produtos regionais, sob a Marca Madeira”.

“Na contratação pública de refeições, devemos priorizar produtos regionais nas escolas, lares e hospitais”.

Diminuir a perda de água

Por outro lado, o líder do CDS Madeira defende que se deve “investir nos canais de água, na sua manutenção, conservação e melhoramento. A Ilha da Madeira é abundante em água, mas há muito desperdício”.

Segundo Rui Barreto, por exemplo, no concelho de Santa Cruz “há perdas de 72% e no Funchal de 60%, o que se reflecte no custo da água para os consumidores. Mas cria outro problema: tem havido falta de água para os agricultores”.

Renovar a frota pesqueira

Já no que diz respeito à actividade pesqueira, para Rui Barreto “é preciso reinvestir na reconversão da frota. Veja o caso de Câmara de Lobos que tem uma frota pesqueira, principalmente dedicada ao peixe-espada, muito envelhecida. E o mesmo acontece no Machico, que se dedica mais à pesca do atum”.

O CDS propõe-se ainda a reforçar as verbas dedicadas à investigação, à ciência e à tecnologia, “área onde o Governo Regional apenas investe 0,3% do produto interno bruto da Região”. “Queremos fazer crescer estas verbas até 1,5% do PIB, apesar das recomendações da União Europeia apontarem para os 3%”, reforça o líder madeirense do CDS.

“Esta medida é muito importante pois ajuda-nos a conhecer melhor os nossos recursos marinhos e a ajudar a melhorar as negociações das quotas de pesca com a UE. Temos um programa para transformar positivamente a Madeira”, acrescenta aquele responsável.

A “chantagem” de Costa

Por outro lado, Rui Barreto afirma que António Costa “não cumpriu com o financiamento de 50% para a construção do novo hospital público da Madeira, conforme se tinha comprometido”. E que não cumpriu o primeiro-ministro “não cumpriu com a revisão do subsídio social de mobilidade para residentes na Madeira. Que já devia ter revisto a portaria há 3 anos. E não reviu a taxa de juro do empréstimo da República à Região. O Estado português está a ganhar dinheiro com o empréstimo que fez à Região”.

Para o presidente do CDS Madeira “o António Costa veio à Madeira fazer chantagem com os madeirenses, porque veio dizer que apoiaria, ao abrigo do princípio da continuidade territorial, a ligação ferry marítima de mercadorias e passageiros entre a Madeira e o continente, caso vencesse o candidato socialista. Isto é inadmissível para os madeirenses. Ele é o primeiro-ministro dos portugueses e não dos socialistas madeirenses”.

Pode ler a entrevista a Rui Barreto, por Carlos Caldeira, para o Insular de Notícias, aqui.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Estatuto especial fixou 150 médicos em territórios do interior
Próximo Land use puts huge pressure on Earth’s resources. Here’s what needs to change

Artigos relacionados

Notícias meteorologia

Previsão período alargado – Continente – 16 ago. a 12 set. 2021

Precipitação total com valores abaixo do normal e temperatura média semanal com valores acima do normal […]

Nacional

Ordem dos Médicos Veterinários faz protocolo com Câmaras de Felgueiras e Mirandela

A Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) reúne-se, no próximo dia 26 de Setembro, na sede dos municípios de Felgueiras e de Mirandela para oficializar os protocolos referentes ao cheque veterinário, […]

Últimas

Perturbação trará agravamento do estado do tempo

Ao longo dos próximos dias teremos condições marcadas por muito frio, precipitação localmente intensa, vento e queda de neve. […]