Católica no Porto propõe cozinhar pratos “verdes” com leguminosas

Católica no Porto propõe cozinhar pratos “verdes” com leguminosas

A Escola Superior de Biotecnologia da Católica, no Porto, o Mercado Temporário do Bolhão, a Escola Superior de Hotelaria e Turismo e a Profitecla (Escola Profissional) uniram-se numa ação que visa promover uma maior consciencialização para uma alimentação mais verde e sustentável. As leguminosas vão ser o ingrediente principal e a base das receitas que o chef italiano Antonio Leoci vai preparar no showcooking agendado para amanhã, dia 12 de julho, às 11h00, no Mercado Temporário do Bolhão.

Aberto ao público, o showcooking irá também reunir cerca de 50 especialistas europeus nas áreas da agricultura, alimentação, política e sustentabilidade que vão aprender a confecionar alguns pratos portugueses, entre outos, com leguminosas. A iniciativa realiza-se no seguimento do segundo encontro da Rede de Inovação de Leguminosas no Mediterrânico – um evento organizado pela Escola Superior de Biotecnologia e pela Eurest (multinacional ligada a serviços de restauração) –, que decorreu no dia 9 de julho, com o tema “Transição do consumidor para dietas baseadas em leguminosas mais sustentáveis”.

Estes momentos enquadram-se no projeto europeu TRUE – Percursos de Transição Para Sistemas de Produção Sustentáveis Baseados nas Leguminosas na Europa –, que promove sistemas de agricultura sustentáveis ​​à base de leguminosas. Financiado pela União Europeia, no âmbito do Horizonte 2020, o projeto envolve 24 parceiros de 10 países europeus – Alemanha, Croácia, Dinamarca, Eslovênia, Espanha, Grã-Bretanha, Grécia, Hungria, Irlanda e Portugal –, incluindo parceiros académicos e empresas que operam na produção e processamento de leguminosas, distribuição e comercialização. Em Portugal, o projeto é liderado por uma equipa de investigadores da Escola Superior de Biotecnologia.

Edifício Paraíso

Chef italiano para destacar sabores mediterrânicos

Italiano, natural de Monopoli, Antonio Leoci vive no Porto há quatro anos. Formou-se como técnico de hotelaria em 2006, altura em que deixou a sua cidade natal e iniciou a sua experiência profissional no norte de Itália, e posteriormente em Inglaterra. Já em Portugal, surgiu a oportunidade de tirar um curso de formador em 2017 (na área de cozinha e pastelaria). Atualmente, trabalha como cozinheiro no restaurante italiano Vícios de Mesa (Maus Hábitos). Os seus ideais e trabalho baseiam-se na constante pesquisa de uma alimentação equilibrada, saudável e sustentável produzida com técnicas de baixo impacto ambiental.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Após dois anos à espera do Governo, empresa desiste das obras de ampliação do Hospital de Viseu
Próximo Inaugurado Furo de Captação de Água do Cabeço Pequeno no Município da Madalena

Artigos relacionados

Nacional

Alcácer do Sal: se não chove, as barragens não enchem e quem paga a fatura da água mais cara são os produtores de arroz

Os produtores de arroz são os mais afetados pela falta de água nas barragens de Vale de Gaio e Pego do Altar, […]

Nacional

Governo alarga seguro vitícola de colheitas aos Açores e à Madeira

Os produtores de vinho das regiões autónomas dos Açores e da Madeira têm agora acesso ao seguro vitícola de colheitas.
A medida foi publicada em Diário da República esta semana e vai abranger mais de 2000 agricultores e cerca de 1500 hectares de plantação de vinhas nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira com o objetivo de “reduzir os custos relacionados com a contratação dos seguros vitícolas, […]

Dossiers

Abogan por una PAC que compense a los agricultores y ganaderos por el esfuerzo de adaptarse a la norma medioambiental

El consejero de Agricultura, Agua y Desarrollo Rural, Francisco Martínez Arroyo, ha abogado este martes 28 por que la nueva Política Agraria Común (PAC) que se está […]