Após dois anos à espera do Governo, empresa desiste das obras de ampliação do Hospital de Viseu

Após dois anos à espera do Governo, empresa desiste das obras de ampliação do Hospital de Viseu

A empresa que ganhou a que foi adjudicada a obra de ampliação do Hospital de Viseu esperou tanto tempo para que o Governo autorizasse o início dos trabalhos que acabou por desistir, segundo noticia a TSF (acesso livre). Foram dois anos entre a adjudicação e a autorização para as obras começarem depois de o Ministério da Saúde ter falhado o prazo para o arranque da ampliação da urgência.

O conselho de administração do Centro Hospitalar Tondela Viseu confirmou à TSF a desistência da obra que era considerada urgente há cinco anos. Agora, o hospital está à procura de uma solução para que a obra possa avançar, o que poderá aumentar os custos para os cofres públicos.

A atual urgência do hospital recebe cerca de 400 doentes por dia, apesar de ter sido construída com capacidade para menos de metade, como explicou o presidente da Câmara de Viseu, António Almeida Henriques, à TSF. “Eu vou ao hospital e fico chocado com as condições em que as pessoas estão. As pessoas estão espalhadas pelos corredores fora, numa situação que não é humana”, disse.

O autarca acrescentou que os fundos europeus para a ampliação estão há muito disponíveis pelo que considera “natural que a empresa que há dois anos estava disponível para fazer a obra deixe de estar porque o mercado mudou”. Na opinião de Almeida Henriques, é agora necessário perceber se outras empresas que foram a concurso público há dois anos mantêm o interesse.

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior Congresso Mundial da Vinha e do Vinho - 15 a 19 julho - Suiça
Próximo Católica no Porto propõe cozinhar pratos “verdes” com leguminosas

Artigos relacionados

Sugeridas

Projecto melhor eucalipto lança boletim sobre apoios disponíveis para melhorar valor económico das florestas

O Projecto Melhor Eucalipto acabou de lançar um boletim informativo sobre os apoios disponíveis para a melhoria do valor económico das florestas, […]

Sugeridas

Incêndios: Mais de 24.000 hectares arderam nos primeiros sete meses do ano

Mais de 24.000 hectares arderam nos primeiros sete meses do ano, período em que se registaram 5.294 incêndios rurais, valores inferiores à média anual na última década, segundo o Instituto de […]

Últimas

Ministério Público esmaga a declaração ambiental que aprovou o aeroporto do Montijo

Parecer do Ministério Público dá razão a ação avançada por ambientalistas e classifica como “nula” a Declaração de Impacte Ambiental aprovada pelo Governo. […]