CAPOLIB promoveu seminário sobre a ruralidade e assinou protocolos de defesa da floresta

CAPOLIB promoveu seminário sobre a ruralidade e assinou protocolos de defesa da floresta

O Auditório Municipal acolheu na passada sexta-feira, dia 6 de setembro, o seminário “Viver na Ruralidade – Ajustamento e Diversificação na Floresta”, organizado pela Cooperativa Agrícola de Boticas (CAPOLIB), com o apoio do Município de Boticas.

O colóquio, que contou com a participação de cerca de uma centena e meia de agricultores e criadores de gado, bem como responsáveis de conselhos diretivos dos baldios do Concelho de Boticas, teve como temáticas o mundo rural e os setores agropecuário e florestal.

Foi apresentado o programa das “cabras sapadoras da pastorícia na defesa da floresta contra incêndios” e destacada a constituição e dinamização dos Agrupamentos de Baldios, nomeadamente o agrupamento do Concelho de Boticas.

Durante o seminário foram ainda assinados protocolos de cooperação de defesa e preservação da floresta do Barroso entre a CAPOLIB e quatro entidades: a Forestis – Associação Florestal de Portugal, Município de Boticas, Gestores de Baldios do Concelho de Boticas e Produtores Pecuários de Pequenos Ruminantes.

A sessão de encerramento contou com a presença do Presidente da CAPOLIB, Albano Álvares, do Presidente da Forestis, Luís Braga Cruz, do Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, e do Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas.

Albano Álvares destacou “o empenhamento das diversas entidades em contribuir para o desenvolvimento e para uma boa gestão florestal deste território”.

Por sua vez, Fernando Queiroga referiu que “foi dado um passo importante na valorização e preservação da riqueza natural existente na região do Barroso, a única em Portugal a ser distinguida como Património Agrícola Mundial”.

Por último, Miguel Freitas afirmou que “o interior do país necessita de mais investimento e apoios comunitários”, ressalvando que “esta é uma medida urgente e necessária para os territórios rurais”.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior A ideia era um projeto de vida para a reforma. O resultado foi um vinho premiado nos melhores concursos internacionais
Próximo 15 anos depois de plantado Alqueva revela o maior bosque ripícola de Portugal

Artigos relacionados

Eventos

Webinar: Estratégias de mobilização de pequenos proprietários – 22 de abril

Encontram-se a ser formulados programas públicos que têm em comum a ambição de aumentar a gestão do território e de o seu sucesso depender da mobilização dos proprietários rurais. […]

Nacional

Covid-19: Pneumologista diz que surtos esporádicos podem complicar combate aos fogos

O médico pneumologista António Ferreira disse hoje que a existência de surtos esporádicos de covid-19 entre os operacionais de combate a […]

Últimas

CAP defende que incentivos da Europa para agricultura são um desafio para os jovens

O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) defendeu hoje que a agricultura passa pelas novas gerações e pelas novas tecnologias, […]