Canábis em Portugal. Canadiana Flowr compra 100% da Holigen

Canábis em Portugal. Canadiana Flowr compra 100% da Holigen

[Fonte: Dinheiro Vivo] A Halogen investiu numa área de cultivo em Aljustrel, que ficará operacional na segunda metade de 2019, com capacidade para produzir 500 toneladas/ano

A empresa canadiana Flowr Corporation entrou em acordo definitivo para adquirir os restantes 80.2% do Grupo Holigen, ficando assim a controlar a totalidade da empresa que se encontra a operar em Portugal desde do início de 2019, através da compra de ações. Após o fecho desta aquisição, a Flowr espera possuir 100% das ações emitidas da Holigen, informou a empresa em comunicado.

A Flowr está assim de olho no potencial do chamado “ouro verde” em Portugal, onde já há pelo menos quatro empresas a plantar e a transformar canábis medicinal. De acordo com Vinay Tolia, CEO da Flowr, em 2019 a sua empresa trabalhou “de forma muito próxima com a gestão da Holigen para ajudar no desenvolvimento de ativos, em particular Aljustrel, a instalação de cultivo ao ar livre em Portugal”.

“A área de Aljustrel, que está prevista ficar operacional na segunda metade de 2019, compreende 7.000.000 m2, com uma capacidade de produção estimada em mais de 500.000 quilos anuais e é considerada um Projeto de Interesse Nacional pelo Governo Português. Esta aquisição posiciona-nos para sermos bem-sucedidos em duas estratégias economicamente sustentáveis e distintas, o mercado premium de flores secas no Canadá e o mercado de extratos medicinais em larga escala a nível global”, refere o responsável no mesmo comunicado.

Nos termos do Acordo, a Flowr concordou em nomear Pauric Duffy, fundador e CEO da Holigen, para o conselho de administração da Flowr aquando do fecho da aquisição. Pauric Duffy passará a assumir as funções de Managing Director para a Europa, continuando desta forma a desenvolver o crescimento da empresa neste continente, onde a Holigen espera investir 45 milhões de euros para a produção de canábis medicinal e gerar 200 postos de trabalho em Portugal nos próximos quatro anos.

A Holigen é um grupo formado em 2018 que reúne duas empresas – RPK Biopharma e TCann – e tem como objetivo criar um líder internacional no mercado em crescimento acentuado da canábis medicinal. Com sede na Europa, é especializado em ingredientes e produtos de canábis de grau farmacêutico, com acesso a mais de 35 países de todo o mundo e com acordos de distribuição em comércio em vários países europeus.

Para a Flowr, “a aquisição da totalidade da Holigen é a evolução natural da nossa estratégia global relativamente à canábis. A combinação entre o design de instalações e o know-how de cultivo da Flowr com a pegada global, experiência farmacêutica e em GMP da Holigen gera uma excelente sinergia. As oportunidades nos mercados de canábis medicinal na Europa e Austrália/Ásia são enormes e a Holigen traz a possibilidade de uma escala incomparável para servir estas regiões”.

Com sede em Toronto e uma unidade de produção em Kelowna, na pronvíncia canadiana de British Columbia, a Flowr constrói e opera instalações de cultivo de larga escala, utilizando os seus próprios sistemas de cultivo. A Flowr pretende fornecer canábis de alta qualidade para o mercado de uso adulto recreativo e para o mercado medicinal.

A RPK Biopharma detém uma das primeiras licenças de cultivo, e I&D em Portugal e encontra-se em processo final para obtenção de licenças de processamento e produção de acordo com as Boas Práticas de Fabrico. Essas licenças incorporam um cultivo indoor e outdoor, incluindo uma das maiores instalações de cultivo de canábis ao ar livre do mundo desenvolvido (65 hectares, Aljustrel, Portugal).

Já a TCann reúne mais de 40 anos de experiência no setor farmacêutico e da saúde e tem licenciamento para cultivo, processamento, produção de acordo com as Boas Práticas de Fabrico, I&D e a primeira licença de exportação de canábis medicinal na Austrália.

Comente este artigo
Anterior Oferta de emprego - Engenheiro Florestal - Lisboa
Próximo Campo Maior recebe sessão de apresentação do Pacto Desenvolvimento Local 2030

Artigos relacionados

Sugeridas

Capoulas acusa Cristas da “manipulação grosseira” e garante que decisão do Programa de Desenvolvimento Rural está nos 82%

O Ministério da Agricultura acusou hoje Assunção Cristas de “manipulação grosseira” dos números do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), garantindo que a taxa de decisão das candidaturas é de 81,7% e que Portugal está no pódio da execução. […]

Nacional

Ministério da Agricultura avalia estragos causados por queda de granizo em Mogadouro

“Já estive a falar com o senhor presidente da Câmara de Mogadouro e na segunda-feira, pela manhã, estarei no concelho, para ajudar a avaliar os estragos causados pela trovada”, […]

Últimas

Seminário sobre agricultura e neutralidade carbónica na Agro-Braga

Home Agenda Seminário sobre agricultura e neutralidade carbónica na Agro-Braga

Agenda, […]