Câmara de Portalegre assina Protocolo para a cogestão do Parque Natural da Serra de São Mamede com o Fundo Ambiental e o ICNF

Câmara de Portalegre assina Protocolo para a cogestão do Parque Natural da Serra de São Mamede com o Fundo Ambiental e o ICNF

Decorreu hoje, dia 3 de julho, na Quinta dos Olhos d’Água, em Marvão, a assinatura de um protocolo de cooperação técnica e financeira, para a promoção, desenvolvimento e execução do modelo de cogestão do Parque Natural da Serra de São Mamede (PNSSM), entre o Fundo Ambiental, a Câmara Municipal de Portalegre e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Estiveram presentes nesta cerimónia o Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Catarino, a Presidente da Câmara Municipal de Portalegre, Adelaide Teixeira, os Presidentes das Câmaras de Arronches, Castelo de Vide e Marvão, entre outras individualidades.

O protocolo para a cogestão do PNSSM visa apoiar políticas ambientais para a prossecução dos objetivos do desenvolvimento sustentável, contribuindo para o cumprimento dos objetivos e compromissos nacionais e internacionais, designadamente os relativos às alterações climáticas, aos recursos hídricos, aos resíduos e à conservação da natureza e biodiversidade, em alinhamento com a estratégia nacional de conservação da Natureza e Biodiversidade 2030, passando os municípios a intervir diretamente na gestão de proximidade e na valorização da Serra de São Mamede.

Na oportunidade, foi também assinado o memorando de entendimento para a cogestão do Parque Natural da Serra de São Mamede, entre o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e os municípios em que se insere o parque, nomeadamente Arronches, Castelo de Vide, Marvão e Portalegre, que prevê a cedência de utilização da Quinta dos Olhos d’ Água.

Para a Presidente da Câmara Municipal de Portalegre, a assinatura deste protocolo representa uma oportunidade única para o reconhecimento da relevância estratégica do Parque Natural da Serra de S. Mamede e dos seus recursos endógenos.

A diversidade, a mais-valia ambiental e potencial para o Norte Alentejano, a dinamização dos recursos biofísicos e geomorfológicos, vão permitir aos quatro municípios associados perspetivar novas oportunidades para a valorização económica, turística e desportiva da Serra de S. Mamede, ampliando assim a capacidade de gerar mais valor na economia local.

Sendo o Parque Natural de S. Mamede um dos mais humanizados do território nacional, Adelaide Teixeira reitera que esta era uma reivindicação antiga dos autarcas, que pretende conciliar o interesse das populações com a conservação da natureza, numa lógica de gestão de proximidade.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Procura por limpeza de terrenos dispara (+140,6%) entre Abril e Maio de 2020
Próximo Webinar da FAO sobre "Tecnologias e Práticas para o Desenvolvimento da Agricultura Sustentável" mostra exemplos e experiências da Madeira - 6 de julho

Artigos relacionados

Últimas

Comissão Europeia – apoio a ações de informação relacionadas com a Política Agrícola Comum (PAC) para 2020

A Comissão Europeia lançou um convite à apresentação de propostas de apoio a ações de informação sobre a Política Agrícola Comum (PAC) para 2020, […]

Nacional

Invertebrados procuram-se e qualquer pessoa pode ajudar a encontrá-los

Campanha de ciência-cidadã para encontrar invertebrados em Portugal continental é lançada esta sexta-feira. […]

Últimas

Resumo Climatológico – novembro 2019: frio em temperatura do ar e chuvoso em precipitação

O mês de Novembro de 2019 classificou-se como frio em relação à temperatura do ar e chuvoso em relação à precipitação […]