Calagem e gessagem de solos ácidos garantem maior produtividade para pastagens e grãos

Calagem e gessagem de solos ácidos garantem maior produtividade para pastagens e grãos

[Fonte: Embrapa] As práticas de correção de solos conhecidas como calagem e gessagem são importantes para assegurar índices mais altos de produtividade tanto para o plantio de pastagens e florestas, quanto para o cultivo de grãos como soja, milho e sorgo. As medidas são indicadas para os solos ácidos, mais comuns no Cerrado brasileiro, e são consideradas baratas em função dos benefícios para o produtor.

Calagem é aplicação de corretivo (calcários, cal, carbonato de cálcio etc)  no solo com o objetivo de neutralizar o alumínio, que é tóxico para as plantas. A aplicação de nutrientes como cálcio, magnésio, potássio, fósforo, nitrogênio etc nos solos ácidos favorece o melhor desenvolvimento das culturas.

A gessagem consiste em empregar gesso para corrigir o perfil do solo em camadas mais profundas, entre 20 e 60 cm de profundidade, e suprir a necessidade das plantas de cálcio e enxofre. “Isso possibilita que as raízes cresçam e busquem água e nutrientes mais profundamente e resistam melhor aos períodos de estiagem”, explica o pesquisador da Embrapa, Alexandre Agiova. 

O pesquisador afirma que, por terem objetivos diferentes, as duas práticas são complementares. Ambas requerem a gradagem pesada do solo para a incorporação dos nutrientes e, posteriormente, gradagens intermediárias para nivelar a terra antes da semeadura. As quantidades de corretivo adequadas devem ser indicadas por um técnico, após o exame de análise do solo, que também define melhor momento da aplicação. As doses do corretivo são prescritas considerando o grau de exigência da cultura que será introduzida, além da situação do solo. 

Agiova explica que a calagem deve ser feita com antecedência em relação ao período de plantio porque são necessários três meses para que ocorram as reações químicas que proporcionam o desenvolvimento das gramíneas. Em relação às leguminosas esse prazo é de seis meses. 

Comente este artigo
Anterior Quer uma árvore? ICNF tem quase 166 mil plantas autóctones para dar
Próximo Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural lança apelo a pastores

Artigos relacionados

Últimas

AU-EU agrifood platform: reinforcing the link between the EU and African private sectors

Ahead of its official launch, introductory talks on the African Union-European Union agri-food platform will be held on 25 June 2020 during an online event organised by the European Commission, […]

Internacional

Près d'Agen, les agriculteurs défient l'État pour garder leur barrage

REPORTAGE – À Saint-Pierre-de-Caubel, des agriculteurs, soutenus par des élus et une partie de la population, aménagent une digue pour créer une retenue d’eau sur le ruisseau de Caussade. […]

Internacional

Climate change poses mixed consequences for agriculture: Conservation International study concludes global warming will make farming possible in regions important for biodiversity and carbon storage

Future farming in regions that were previously unsuitable for agriculture could significantly impact biodiversity, water resources, and greenhouse […]