Cabazes biológicos para apoiar pessoas com deficiência

Cabazes biológicos para apoiar pessoas com deficiência

O projecto Semear, que nasceu com o objectivo de formar e empregar jovens e adultos com dificuldade intelectual e do desenvolvimento, vai dar início à comercialização de cabazes de produtos hortícolas, 100% biológicos cujas receitas servirão para sustentar o projecto.

Cada cabaz é entregue numa caixa de 30 L e é composto, dependendo da disponibilidade da época, por 6 a 10 variedades de produtos básicos e sazonais, legumes e ervas aromáticas, fazendo a alface, o tomate, a cebola e o alho francês, parte do leque de legumes que estarão presentes neste cabaz durante todo o ano. Todas as semanas o “Semear na Terra” irá surpreender os seus clientes com uma atractiva variedade de legumes.

O SEMEAR NA TERRA, um negócio social agrícola que emprega pessoas com deficiência e é desenvolvido em 10 hectares de terra, em parceria com o INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, inicia agora o processo de comercialização dos seus cabazes de frescos, em pontos de venda específicos como o próprio INIAV  em Oeiras, o ISA – Instituto Superior de Agronomia, na Ajuda, e o Café Alegre e Feliz, em Lisboa. O “Semear na Terra” efectua entregas em empresas que façam pedidos de mais de oito cabazes.

Semear para a inclusão

Com um vasto histórico no que diz respeito à inclusão na sociedade de pessoas com deficiência, o BIPP desenvolveu, há cerca de quatro anos, o Programa Semear, um projecto que integra uma área de formação certificada e de desenvolvimento de competências sócio-profissionais – a Academia Semear – e dois negócios sociais inclusivos – o “Semear na Terra”, um projecto de agricultura biológica e a Mercearia Semear, um negócio social que comercializa produtos alimentares transformados como compotas, temperos e chutneys.

Na Academia, uma equipa multidisciplinar de técnicos e formadores promove o desenvolvimento de competências sócio-profissionais e técnicas e estimulam a empregabilidade no sector agroalimentar para jovens com deficiência. O “Semear na Terra” e a Mercearia complementam a formação dos educandos através de formação prática em contexto de trabalho, produzindo produtos hortícolas biológicos e produtos transformados para comercialização.

O Semear já empregou desde 2016, em variadas empresas, 23 jovens e adultos com estas características e tem em formação 32 entre os 18 e os 39 anos de idade.

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior «A alimentação nunca foi tão segura como é na atualidade»
Próximo PSD/Açores questiona Governo Regional sobre devolução de fundos comunitários

Artigos relacionados

Nacional

Grupo Amorim quer carga fiscal “aligeirada” para aumentar competitividade

Paula Amorim fala na importância de se “aligeirar” a carga fiscal em Portugal para permitir aos empresários serem “competitivos com outros mercados” […]

Nacional

INE está a recrutar técnicos superiores para o Recenseamento Agrícola 2019


INE está a recrutar técnicos superiores para o Recenseamento Agrícola 2019
As candidaturas para o recrutamento de 36 técnicos superiores especialistas em Estatística, […]

Nacional

AGROGARANTE. Conversas de Agricultura em Braga

A Agrogarante – Sociedade de Garantia Mútua, S.A. organiza o Fórum “Conversas de Agricultura” no próximo dia 28 de março em Braga, […]