Bovinos Carnalentejana e a sua pegada de carbono

Bovinos Carnalentejana e a sua pegada de carbono

[Fonte: Carnalentejana] Portugal está de parabéns e encontra-se na liderança dos países europeus na redução das emissões de CO2 (dióxido de carbono). São boas notícias que significam que o esforço conjunto produz bons resultados. Mas precisamo fazer mais e melhor.

Proteger o meio ambiente e o nosso planeta é algo de extrema importância e essencial para o futuro da vida na Terra. Cada um de nós tem o dever de recorrer a estilos de vida mais amigos do ambiente a ajudar na sua preservação. Gestos que contribuem para a poupança de energia, por exemplo, fazem a diferença.A Carnalentejana, como todos os intervinientes do sector primário tradicional (e todos os seres vivos para esse efeito), depende de um meio ambiente saudável. Desde o início da nossa actividade que temos como prioridade a preservação da natureza. 
Conscientes da conotação negativa associada à produção de carne, queremos enfatizar os beneficios da nossa criação em contraposição às produções chamadas intensivas.A produção de bovinos, à semelhança de qualquer outra actividade, tem associada uma pegada de carbono considerada como muito expressiva na emissão de gases de estufa que contribuem para o aquecimento global. Importa então relembrar a diferença entre os bovinos produzidos de forma extensiva e intensiva. Recentemente, um estudo da Terra Prima desenvolvido nos Açores, concluiu que a criação extensiva de bovinos tem uma pegada de carbono 32% inferior à provocada pela produção intensiva.

Assim, os bovinos Carnalentejana não só têm uma pegada de carbono inferior aos bovinos produzidos em regime intensivo, como também desempenham um papel fundamental para a manutenção e equilíbrio do ecossistema em que estão inseridos. O resultado final é uma carne saudável, 100% natural e amiga do ambiente.

Comente este artigo
Anterior Europeias. Aliança diz ser uma obrigação executar a totalidade dos fundos da PAC
Próximo João Ferreira insiste: “Não vimos o governo a assumir que não vai aceitar corte nos fundos europeus”

Artigos relacionados

Últimas

Os animais domésticos não são uma construção social – Manuel Magalhães Sant’Ana

[Fonte: Observador] Há uma espécie de socialismo utópico da relação homem-animal que tem vindo a ganhar influência na sociedade, catapultada por iniciativas animalistas do PAN e de outros partidos da esquerda parlamentar

Nunca como agora os animais desempenharam um papel tão relevante no panorama político nacional. […]

Dossiers

ADP Fertilizantes lança nova linha de fertilizantes

[Fonte: Vida Rural]

A ADP Fertilizantes anunciou esta segunda-feira (18 de fevereiro) o lançamento da nova gama de fertilizantes Plusmaster. De acordo com a empresa, a nova linha é fabricada com a Tecnologia AntiOX, baseada num complexo ativado de minerais siliciosos, […]

Notícias Fitofarmacêuticos

ANIPLA e ANPROMIS debatem produção fitossanitária e produtividade no sector agrícola

 
A ANIPLA e a ANPROMIS promoveram, no passado dia 8 de Fevereiro, um painel sobre produtividade e a importância da protecção fitossanitária para o sector, no âmbito do XI Congresso Nacional do Milho.

O debate foi moderado por José Diogo Albuquerque, administrador do Agroportal, […]