Boas práticas no uso eficiente da água, do solo e conservação da biodiversidade em Alqueva premiadas

Boas práticas no uso eficiente da água, do solo e conservação da biodiversidade em Alqueva premiadas

Já são conhecidos os vencedores dos Prémios ‘Mais Alqueva, Mais Valor’, uma iniciativa financiada pelo Fundo Ambiental e desenvolvido em parceria pela EDIA, pela CONSULAI e pela Universidade de Évora para distinguir projetos, na área de influência do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva que implementem um conjunto de boas práticas relacionadas com o uso eficiente da água, do solo e a conservação da biodiversidade.

Com um júri que integra António Serrano, Ex-Ministro da Agricultura e CEO da Jerónimo Martins Agroalimentar, Eduardo Oliveira e Sousa, Presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal, Francisco Avillez, Professor Emérito do Instituto Superior de Agronomia e coordenador científico da Agrogés, João Meneses, Diretor-Geral do BCSD – Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável, José Godinho Calado, Diretor Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo, José Pedro Salema, Presidente da EDIA, Nuno Lacasta, Diretor-Geral da Agência Portuguesa do Ambiente, e Pedro Queiroz, Diretor-Geral da Federação das Indústrias Portuguesas Agroalimentares, o prémio atribui este ano uma Menção Honrosa à Agirdin – Agroturismo de Investimento por considerar que se trata de um projeto “inovador” que “tem apostado num conjunto de equipamentos e práticas que respondem integralmente aos objetivos” da iniciativa.

Na categoria ‘Mais Utilização’, que distingue entidades empresariais e não empresariais (escolas, câmaras municipais, associações, cooperativas, ONG, etc.) que promovam práticas sustentáveis relacionadas com critérios sociais e ambientais, destacando o uso sustentável da água, o grande vencedor foi o Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo, que já em 2018 tinha sido reconhecido com um Prémio VIDA RURAL.

Na categoria ‘Mais Transformação’, criada para distinguir as empresas agroindustriais que implementam práticas que conduzam a um crescente uso eficiente de água no seu processo e/ou que implementem práticas sustentáveis em termos sociais, ambientais ou económicos, o vencedor foi o Olival da Risca.

O prémio ‘Mais Inovação’, por sua vez, que dá destaque a projetos de inovação/investigação que promovam a sustentabilidade e a eficiência do uso de água pelos utilizadores de água da EDIA, o grande vencedor foi o projeto FITOFARMGEST.

Na categoria ‘Mais Produção’, que dá destaque aos produtores agrícolas beneficiários do regadio da EDIA, que promovam o uso eficiente da água bem como a adoção de práticas sustentáveis (económicas, sociais e ambientais), o vencedor foi o Esporão.

Por fim, na categoria ‘Mais Valor’, com candidatos selecionados pela EDIA e votados pelo público, o grande vencedor foi o CEBAL – Centro de Biotecnologia Agrícola e AgroAlimentar do Alentejo, uma unidade de investigação e desenvolvimento privada, sem fins lucrativos, sediada em Beja, que desenvolve a sua atividade em estreita ligação com o tecido económico local, levando em consideração as características e o potencial da região em que se insere.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural .

Anterior Braga acolhe IV Conferência Internacional Sobre as Bio-regiões
Próximo CELPA envolve mais de 1000 alunos e 100 professores em ações de sensibilização ambiental

Artigos relacionados

Últimas

Grandes empresas ajudam a divulgar mudanças de comportamentos de risco dos incêndios rurais

A campanha “Portugal Chama”, que tem como objetivo sensibilizar toda a população para o problema dos incêndios rurais, entra hoje numa nova fase, […]

Últimas

Açores propõe criação de ajuda de 24 euros por colmeia no âmbito do POSEI

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou hoje, 9 de Julho, no Pico, que o Governo dos Açores vai propor, […]

Nacional

Agricultores querem garantia de combustíveis para a época alta das colheitas

A Confederação dos Agricultores de Portugal quer que o Governo reveja a lista de postos de abastecimento prioritários, pois “não pode haver portugueses de primeira e de segunda, […]