BAD defende aposta na agricultura como alternativa aos recursos naturais em Moçambique

BAD defende aposta na agricultura como alternativa aos recursos naturais em Moçambique

[Fonte: Correio da Manhã]

O representante do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) em Moçambique, Pietro Toigo, defendeu esta sexta-feira em Maputo que a aposta na agricultura é fundamental para que a economia moçambicana evite a dependência dos recursos naturais e gere mais empregos.

Pietro Toigo alertou para a tentação de o país concentrar a sua estratégia de desenvolvimento na exploração dos recursos naturais, quando falava após a assinatura de dois acordos de financiamento para projetos de agricultura e pescas.

“Agora, é mais importante ainda que Moçambique aposte fortemente na agricultura, para que as atenções nos recursos naturais não criem desequilíbrios na economia”, declarou.

Os investimentos maciços que têm sido anunciados para a indústria extrativa em Moçambique não devem desviar a necessidade de o país desenvolver outros setores da econimia, acrescentou.

O BAD, prosseguiu, Pietro Toigo, atribui um papel fundamental ao financiamento da agricultura, apoiando projetos destinados ao aumento da produção e produtividade e capacitação dos produtores.

Por seu turno, a vice-ministra da Agricultura e Segurança Alimentar de Moçambique (MASA), Luísa Meque, afirmou que os pequenos agricultores devem ser ajudados a tirar maior proveito da sua atividade, nomeadamente através da criação de melhores condições de armazenamento e processamento dos seus produtos.

“A agricultura e a pesca no país registam enormes perdas pós-produção, devido a falta de condições de armazenamento e processamento”, assinalou Luísa Meque.

Os acordos esta sexta-feira assinados destinam-se à canalização de pouco mais de 700 mil dólares (618 mil euros) para o financiamento de projetos na agricultura e pesca.

Comente este artigo

O artigo BAD defende aposta na agricultura como alternativa aos recursos naturais em Moçambique foi publicado originalmente em Correio da Manhã.

Anterior Avisos Agrícolas: 10 (2019) Vinha, Kiwi, Cereja, Maçã, Pera, Mirtilo, Batata, Tomate, Buxo e Azevinho – Entre Douro e Minho
Próximo Há novos limites de resíduos de pesticidas na fruta, legumes e pecuária

Artigos relacionados

Últimas

Municípios devem privilegiar distribuição de hortofrutícolas locais nas escolas

[Fonte: Vida Rural]

Foi esta quarta-feira (11 de setembro) publicada em Diário da República uma resolução da Assembleia da República (AR) que recomenda ao Governo medidas para a melhoria do programa de distribuição de hortícolas e de frutas, nomeadamente uma estratégia que “promova e privilegie a aquisição prioritária, […]

Nacional

Reestruturação de vinhas vai ter concurso de 50 milhões de euros

[Fonte: Gazeta Rural]

A reconversão e reestruturação da vinha vai ser objeto de um novo concurso no valor de 50 milhões de euros, a lançar no terceiro trimestre deste ano, anunciou hoje o Ministério da Agricultura.
“No terceiro trimestre, mesmo antes de concluídas as negociações da PAC [Política Agrícola Comum], […]

Últimas

Pasto, hortícolas e frutas mais afetados por seca, a seguir será vinha e olival

Lisboa, 24 jul (Lusa) – Todas as culturas estão já afetadas pela seca, principalmente pastagens, hortícolas e frutas sazonais, e, se não chover dentro de um mês, será também a vinha e o olival, defendeu a Confederação Nacional da Agricultura.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_6 span,#wpdevar_comment_6 iframe{width:100% !important;} […]