BAD defende aposta na agricultura como alternativa aos recursos naturais em Moçambique

BAD defende aposta na agricultura como alternativa aos recursos naturais em Moçambique

O representante do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) em Moçambique, Pietro Toigo, defendeu esta sexta-feira em Maputo que a aposta na agricultura é fundamental para que a economia moçambicana evite a dependência dos recursos naturais e gere mais empregos.

Pietro Toigo alertou para a tentação de o país concentrar a sua estratégia de desenvolvimento na exploração dos recursos naturais, quando falava após a assinatura de dois acordos de financiamento para projetos de agricultura e pescas.

“Agora, é mais importante ainda que Moçambique aposte fortemente na agricultura, para que as atenções nos recursos naturais não criem desequilíbrios na economia”, declarou.

Os investimentos maciços que têm sido anunciados para a indústria extrativa em Moçambique não devem desviar a necessidade de o país desenvolver outros setores da econimia, acrescentou.

O BAD, prosseguiu, Pietro Toigo, atribui um papel fundamental ao financiamento da agricultura, apoiando projetos destinados ao aumento da produção e produtividade e capacitação dos produtores.

Por seu turno, a vice-ministra da Agricultura e Segurança Alimentar de Moçambique (MASA), Luísa Meque, afirmou que os pequenos agricultores devem ser ajudados a tirar maior proveito da sua atividade, nomeadamente através da criação de melhores condições de armazenamento e processamento dos seus produtos.

“A agricultura e a pesca no país registam enormes perdas pós-produção, devido a falta de condições de armazenamento e processamento”, assinalou Luísa Meque.

Os acordos esta sexta-feira assinados destinam-se à canalização de pouco mais de 700 mil dólares (618 mil euros) para o financiamento de projetos na agricultura e pesca.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Correio da Manhã.

Anterior Avisos Agrícolas: 10 (2019) Vinha, Kiwi, Cereja, Maçã, Pera, Mirtilo, Batata, Tomate, Buxo e Azevinho – Entre Douro e Minho
Próximo Há novos limites de resíduos de pesticidas na fruta, legumes e pecuária

Artigos relacionados

Últimas

Citrinos mais procurados são as laranjas

A percentagem de exportações de citrinos, em termos de média dos associados da AlgarOrange, é na ordem dos 25% do total produzido. […]

Internacional

Bruselas tira por los suelos la estrategia del Gobierno con el campo: Prevé un recorte del 10% en los fondos agrícolas

Desde que hace dos semanas se iniciaran las movilizaciones en el campo, el Gobierno ha centrado toda su estrategia de soluciones en la PAC. […]

Nacional

Incêndios: PSD/Madeira quer que Estado pague helicóptero de combate na região

A parlamentar social-democrata lembrou que, desde 2018 e por iniciativa do Governo Regional, a Região Autónoma da Madeira dispõe de um meio aéreo para o ataque inicial aos incêndios florestais que, […]