Área ardida nas áreas protegidas em 2019 foi um décimo do habitual

Área ardida nas áreas protegidas em 2019 foi um décimo do habitual

Em 2019, registaram-se 384 incêndios florestais nas áreas protegidas e a área ardida foi de cerca de mil hectares.

Estes valores são cerca de um décimo da média. A área ardida em 2019 foi, assim, cerca de um décimo da média registada nas últimas duas décadas (1800 hectares por ano).

Estes números confirmam que a Estratégia do Ministério do Ambiente e da Ação Climática para a prevenção estrutural contra incêndios deu resultados.

Entre 2017 e 2019, as equipas das áreas protegidas foram reforçadas com 75 novos elementos do Corpo Nacional de Agentes Florestais (CNF´s), e com 75 novos vigilantes da natureza.

Foi em 2017 que se lançou o projeto-piloto de combate estrutural aos incêndios no Parque Nacional da Peneda-Gerês. Em 2018, o projeto-piloto foi alargado a mais cinco áreas protegidas e, em 2019 a oito novas áreas. Neste momento há projetos em curso em 14 áreas Protegidas.

Comente este artigo
Anterior Ministro do Ambiente diz que caudais do Tejo vão recuperar ainda este ano
Próximo Portugal 2020: Bruxelas pagou a Portugal quase 10 mil milhões até setembro

Artigos relacionados

Nacional

Fruta nacional já pode ser exportada para a Colômbia

As laranjas, ameixas, pêssegos e nectarinas portuguesas já podem ser exportadas para o mercado colombiano. De acordo com o gabinete do ministro da Agricultura, […]

Últimas

Gestores de água para rega propõem ao Governo estratégia até 2050

Dois dias depois de o ministro da Agricultura ter anunciado o fim da concessão de apoios a novos projetos para instalação de olival no perímetro do Alqueva, […]

Internacional

Pedro Sánchez rebaja sus pretensiones y se conforma con una PAC “bien financiada que preserve su presupuesto actual”

El presidente del Gobierno en funciones, Pedro Sánchez, parece que ha rebajado sus pretensiones de hace escasamente un mes. Si entonces aseguraba que quería una PAC “fuerte” […]