Área ardida nas áreas protegidas em 2019 foi um décimo do habitual

Área ardida nas áreas protegidas em 2019 foi um décimo do habitual

Em 2019, registaram-se 384 incêndios florestais nas áreas protegidas e a área ardida foi de cerca de mil hectares.

Estes valores são cerca de um décimo da média. A área ardida em 2019 foi, assim, cerca de um décimo da média registada nas últimas duas décadas (1800 hectares por ano).

Estes números confirmam que a Estratégia do Ministério do Ambiente e da Ação Climática para a prevenção estrutural contra incêndios deu resultados.

Entre 2017 e 2019, as equipas das áreas protegidas foram reforçadas com 75 novos elementos do Corpo Nacional de Agentes Florestais (CNF´s), e com 75 novos vigilantes da natureza.

Foi em 2017 que se lançou o projeto-piloto de combate estrutural aos incêndios no Parque Nacional da Peneda-Gerês. Em 2018, o projeto-piloto foi alargado a mais cinco áreas protegidas e, em 2019 a oito novas áreas. Neste momento há projetos em curso em 14 áreas Protegidas.

Comente este artigo
Anterior Ministro do Ambiente diz que caudais do Tejo vão recuperar ainda este ano
Próximo Portugal 2020: Bruxelas pagou a Portugal quase 10 mil milhões até setembro

Artigos relacionados

Nacional

Fim-de-semana Gastronómico do Cabrito Biológico da Serra do Gerês nos dias 11 e 12 de Maio

Facebook
Twitter
Google+
Pinterest
WhatsApp


Nos dias 11 e 12 de Maio, decorre em Terras de Bouro a 6ª […]

Últimas

ANPOC e parceiros organizam Dia da LVR virtual e apresentam a Agenda de Inovação CEREALTECH

A Associação Nacional de Produtores de Proteaginosas, Oleaginosas e Cereais (ANPOC) organizou hoje, juntamente com o INIAV e o IPBeja, o Dia […]

Últimas

Mau Tempo: Governo quer encontrar soluções para minimizar impacto de cheias no Baixo Mondego

“Temos que olhar para o sistema [de regadio] montado e que protege esta população e os campos agrícolas para tentar encontrar soluções que minimizem os impactos de situações de cheia como esta e, […]