Área ardida nas áreas protegidas em 2019 foi um décimo do habitual

Área ardida nas áreas protegidas em 2019 foi um décimo do habitual

Em 2019, registaram-se 384 incêndios florestais nas áreas protegidas e a área ardida foi de cerca de mil hectares.

Estes valores são cerca de um décimo da média. A área ardida em 2019 foi, assim, cerca de um décimo da média registada nas últimas duas décadas (1800 hectares por ano).

Estes números confirmam que a Estratégia do Ministério do Ambiente e da Ação Climática para a prevenção estrutural contra incêndios deu resultados.

Entre 2017 e 2019, as equipas das áreas protegidas foram reforçadas com 75 novos elementos do Corpo Nacional de Agentes Florestais (CNF´s), e com 75 novos vigilantes da natureza.

Foi em 2017 que se lançou o projeto-piloto de combate estrutural aos incêndios no Parque Nacional da Peneda-Gerês. Em 2018, o projeto-piloto foi alargado a mais cinco áreas protegidas e, em 2019 a oito novas áreas. Neste momento há projetos em curso em 14 áreas Protegidas.

Comente este artigo
Anterior Ministro do Ambiente diz que caudais do Tejo vão recuperar ainda este ano
Próximo Portugal 2020: Bruxelas pagou a Portugal quase 10 mil milhões até setembro

Artigos relacionados

Sugeridas

Bruxelas diz que vai “lutar até ao fim” para impedir tarifas adicionais dos EUA

A comissária europeia do Comércio, Cecilia Malmström, garantiu hoje que a União Europeia (UE) vai “lutar até ao fim” para impedir a administração norte-americana de aplicar tarifas adicionais a produtos europeus, […]

Comunicados

CATAA dinamiza projeto Transfer2Agro na Feira FRUTITEC/ HORTITEC, na Exposalão Batalha

O CATAA – Centro de Apoio Tecnológico Agro-Alimentar de Castelo Branco e a InovCluster – Associação do Cluster Agro-Industrial do Centro irão estar presentes na feira FRUTITEC/ HORTITEC. […]

Últimas

Brexit. Governo quer manter “relação facilitada” entre portos portugueses e britânicos

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, disse esta terça-feira, no parlamento, que quer manter uma “relação facilitada” entre os portos portugueses e os portos britânicos, […]