Antigo polícia suspeito de atear fogo florestal fica em prisão preventiva

Antigo polícia suspeito de atear fogo florestal fica em prisão preventiva

Um antigo polícia, com cerca de 50 anos, foi detido na sequência de um incêndio florestal ocorrido perto de Abrantes, Santarém, pelas 20h da passada sexta-feira. É suspeito de ter ateado o incêndio. Aguardará em prisão preventiva enquanto prosseguir a investigação da Polícia Judiciária.

Em comunicado, a Procuradoria da Comarca de Santarém afirma que a medida de coação, a mais gravosa, foi aplicada na tarde de terça-feira, após o primeiro interrogatório do detido, dados os “perigos de continuação da actividade criminosa e de alteração da ordem e tranquilidade públicas”.

A procuradoria refere, também, antecedentes de alcoolismo “não resolvidos mesmo após tratamentos de desintoxicação e afectações comportamentais que tinham contribuído para a respectiva aposentação por incapacidade para o serviço público policial”.

O inquérito corre na secção especializada em criminalidade violenta do Departamento de Investigação e Acção Penal de Santarém.

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior CNA: Foi uma “precipitação do Reitor”. Interdição da carne de vaca nas cantinas da Universidade de Coimbra é “posição demagógica e errada”
Próximo Coragem ou demagogia? - Francisco Avillez

Artigos relacionados

Cotações PT

Cotações – Suínos – 20 a 26 de setembro de 2021

As cotações médias, mais frequentes, de porco classe E e de porco Classe S, à entrada no matadouro, desceram 0,02 €/kg Peso Carcaça. a cotação média mais frequente de leitão […]

Últimas

Câmara de Castro Marim está a levar água em camiões para abastecer 30 povoações

A Câmara de Castro Marim, no nordeste algarvio, uma das zonas mais afetadas pela seca no distrito de Faro, está a levar água em camiões a cerca de 30 povoações, […]

Sugeridas

Crise dos combustíveis põe em risco alimentação dos animais. IACA prevê prejuízo de 4 M€ por dia

A IACA – Associação Portuguesa dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais prevê “graves prejuízos no sector, quer no abastecimento de matérias-primas à indústria, […]