Análises de terra – colher para semear

Análises de terra – colher para semear

“Não herdamos a terra dos nosso pais, recebemo-la emprestada dos nossos filhos”

O sol de inverno que aqueceu o segundo domingo deste frio janeiro permitiu que hoje, pela primeira vez, o Luís acompanhasse o Pedro na tradição familiar de colher amostras de terra para análise. É uma tarefa relativamente leve, sem riscos e que nos permite caminhar, conhecer os campos, apresentar as árvores e contactar com a natureza enquanto fazemos algo útil.

Em cada parcela de terreno, caminhamos em zig-zag, levando uma sonda com um tubo metálico que se espeta no solo até 20 cm, se roda e retira para colher uma pequena amostra. As amostras dos vários pontos juntam-se no balde e depois são colocadas num saco, devidamente etiquetado, que os técnicos da cooperativa encaminham para o laboratório de solos. Uma parte das amostras já foi recolhida pelo Eng. Vítor Faria.

Repito as análises a cada dois anos, para saber como evolui o pH do solo, o teor de matéria orgânica e dois macronutrientes, fósforo e potássio. Não se analisa o azoto porque ele é facilmente arrastado pelas águas e não permanece no solo da mesma maneira.

As análises regulares ao solo permitem-me poupar dinheiro, por não aplicar adubo desnecessário, proteger o ambiente, porque esse excesso de adubo iria causar poluição, corrigir o PH com adição de calcário se for preciso e e aplicar a dose correta de cada nutriente para ter a melhor produção possível em qualidade e quantidade.

Com o resultado das análises, vou depois recorrer ao aconselhamento dos engenheiros agrónomos da cooperativa onde compro o adubo, valorizando também o chorume ou estume aplicado na terra, para fazer uma correta gestão dos nutrientes do solo. Se tiver dúvidas, poderei ainda recorrer aos técnicos das empresas que vendem sementes ou adubos. Valorizo experiências e opiniões de colegas, mas não me guio por modas de grupos do Facebook ou do whatsapp. Na adubação da terra, na política ou na saúde, precisamos de boas informações para tomar boas decisões, com aconselhamento dos especialistas credíveis em cada assunto.

#carlosnevesagricultor

2017.jpg2019.jpg20210110_105605.jpg20210110_105850.jpg20210110_110438.jpg20210110_111057.jpg20210110_112836.jpg20210110_153924.jpg20210110_155322.jpg

O artigo foi publicado originalmente em Carlos Neves Agricultor.

Comente este artigo
Anterior Plantar árvores para aumento da Biodiversidade numa exploração Agrícola
Próximo CoLAB FeedInov arranca com 1,6 milhões para inovar na alimentação do sector pecurário

Artigos relacionados

Últimas

Incêndios: “Muitas famílias” estrangeiras abandonaram o interior

O Movimento Associativo de Apoio às Vitimas dos Incêndios de Midões (MAAVIM), em Tábua, realçou hoje que um “elevado número” de famílias estrangeiras abandonou o interior na sequência […]

LIVE

Live-stream: Innovation Talk – O papel dos CoLABs no reequilíbrio das assimetrias territoriais

A Agência Nacional de Inovação (ANI) está a promover, para o próximo dia 22 de outubro, mais uma Innovation Talk, desta vez dedicada ao papel dos Laboratórios Colaborativos no reequilíbrio […]

Últimas

Ministério Público abre inquérito sobre destruição de anta numa herdade em Évora

O Ministério Público (MP) abriu um inquérito sobre a destruição de uma anta numa herdade perto de Évora, alegadamente por causa da plantação de um amendoal intensivo, revelou hoje a […]