Alterações climáticas obrigam à aplicação de novas técnicas na produção da anona da Madeira

Alterações climáticas obrigam à aplicação de novas técnicas na produção da anona da Madeira

A anoneira encontrou na Região Autónoma da Madeira (RAM) um paraíso natural, onde as condições climáticas são altamente favoráveis. A produção da anona é proveniente sobretudo de polinização natural, com produções relativamente altas e de excelente qualidade.

No entanto, tem-se verificado nos últimos três anos alguma diminuição da produção, principalmente na costa sul, derivada fundamentalmente dos efeitos das alterações climáticas dos últimos dez anos, mas com maior incidência nos últimos três, nomeadamente menor precipitação no período inverno/primavera, temperaturas elevadas e humidade relativa inferior a 70%.

Assim, perante esta nova realidade, a Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DRA), através dos seus técnicos especialistas na cultura, está a reforçar as formações práticas, de modo a sensibilizar os produtores de anona para a técnica da polinização manual.

Esta técnica é já divulgada de uns anos a esta parte, mas agora poderá ser uma operação cultural de aplicação “obrigatória”, pois, mantendo-se as condições climáticas dos últimos três anos e para assegurar a cultura da anoneira com produções semelhantes ou superiores e garantir a rentabilidade da mesma, os agricultores terão de conhecê-la e de aplicá-la.

De referir que a Espanha, um dos maiores produtores mundiais de anona tem atingido produtividades elevadas, apesar das condições climáticas da zona onde estão instalados a maioria dos pomares não serem as ideais, mediante a utilização desta técnica (figura 2).

alteracoes climaticas anona figura2 1 alteracoes climaticas anona figura2 2
Figura 2 – Polinização manual em flores de anoneira (Annona cherimola Mill.)

A DRA está também a estudar novas espécies de anonáceas, uma vez que começam a existir condições de adaptabilidade para a atemoia (Annona cherimola x Annona squamosa) e da graviola (Annona muricata).

Aurélia Sena
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

O artigo foi publicado originalmente em DICAs.

Comente este artigo
Anterior Ministra da Agricultura marca presença na inauguração da XI Feira da Caça de Mértola
Próximo O aleitamento artificial em ovinos

Artigos relacionados

Comunicados

Adubos tecnológicos ADP assumem nova dimensão: Fertiberia TECH

30 de novembro de 2018
O projeto de desenvolvimento dos adubos tecnológicos ADP TECH assume agora uma maior dimensão e passa a chamar-se Fertiberia TECH, […]

Nacional

Incêndio já queimou 40 hectares em parque natural da Galiza

Um incêndio florestal ativo está a lavrar no parque natural de Xurés, no sul de Ourense, tendo já queimado 40 hectares de floresta, […]

Últimas

Nova marca de batata Princesa Amandine já se encontra disponível no mercado português

O nascimento da marca Princesa Amandine Ibérica resulta da conjugação de quatro empresas, Ibérica de Batatas (Madrid), Zamorano (Barcelona), Udapa (País Basco) e a portuguesa […]