Alerta – Doença Grave das Plantas – Xylella fastidiosa. Gaia distribui informação à população

Alerta – Doença Grave das Plantas – Xylella fastidiosa. Gaia distribui informação à população

“Alerta – Doença Grave das Plantas – Xylella fastidiosa”, é este o título do folheto que os munícipes de Vila Nova de Gaia estão a receber em casa juntamente com a factura da água.

Em causa uma bactéria que pode estar associada a 58 espécies/géneros de plantas, entre eles, a amendoeira, a cerejeira, a ameixeira, a oliveira, o sobreiro, a figueira, bem como plantas ornamentais e da flora espontânea, e que já foi detectada em 32 focos em Gaia.

O que fazer

Explica fonte institucional da autarquia que o folheto dá indicações sobre o que fazer se detectar uma infecção e mostra fotografias de sintomas da doença de forma a exemplificar o que é que as pessoas poderão identificar em suas casas ou em jardins públicos.

“Não movimentar plantas ou partes de plantas para plantação, ou ramos para fora da área demarcada” e “observar cuidadosamente as suas plantas e contactar as autoridades sempre que observe sintomas suspeitos” – são duas das frases que constam do folheto de alerta.

Graphocephala atropunctata, vector da doença (Xylella fastidiosa) na vinha. Adulto (feminino) em videira. Foto: AH – Purcell Universidade da Califórnia, Berkeley (EUA)

Conter a doença

Em Gaia, “tudo tem sido feito, desde a descoberta da doença, para conter o mais rapidamente possível a doença e evitar a contaminação de outros territórios. As autoridades competentes, juntamente com o Município, têm feito todas as diligências necessárias e possíveis para conter a infecção, seguindo as medidas preconizadas no Plano de contingência para controlo da Xylella fastidiosa e seus vectores”, da DGAV – Direcção Geral de Alimentação e Veterinária.

No folheto é destacado, ainda, que “esta bactéria não afecta pessoas ou animais” e é pedido às pessoas que “facultem o acesso” a técnicos do Ministério ou da Câmara Municipal caso sejam visitadas para observação de plantas.

Ver também:

Xylella fastidiosa: focos encontrados já são 13. Área demarcada alargada

Xylella fastidiosa: Veja aqui os requisitos técnicos para produção e comercialização de plantas hospedeiras

Xylella Fastidiosa destrói 50.000 ha de olival em Itália. 4 milhões de árvores improdutivas

Xylella fastidiosa, o que é, como prevenir?

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Grândola: Feira de Agosto promove produtos endógenos
Próximo Turismo sustentável promove o Alqueva, o "grande lago" da Europa

Artigos relacionados

Notícias fitofarmacêuticos

Fito-Entrevista: Os desafios à produção agrícola por Rosa Amador

Rosa Amador, Direção Geral da ADVID – Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense.
O Futuro da atividade agrícola dentro e fora do setor. […]

Comunicados

Combate à praga Psila Africana dos Citrinos

Trioza erytreae, ou Psila Africana dos Citrinos, é considerado um organismo de quarentena na União Europeia […]

Dossiers

El buen tono comercial impulsa los precios del vacuno


Continúa la tendencia al alza en las canales de vacuno en todas sus categorías y pesos. Los mercados, tanto de exportación como el interno, […]