Alemanha regista primeiro caso de peste suína africana

Alemanha regista primeiro caso de peste suína africana

A Alemanha registou um primeiro caso de peste suína africana – que não afeta os humanos – num javali morto, numa localidade próxima da fronteira com a Polónia, anunciou hoje a ministra da Agricultura.

O vírus da peste suína africana foi detetado na carcaça de um javali encontrada na região de Brandebourg, próximo da fronteira polaca.

“Infelizmente as nossas suspeitas confirmaram-se”, após análises efetuadas pelo laboratório federal Friedrich-Loeffler, especializado neste tipo de vírus, declarou Julia Klockner em conferência de imprensa.

A ministra sublinhou que o vírus e o consumo da carne de porco infetada não “são perigosos” para os seres humanos.

Este primeiro caso confirmado constitui uma má notícia para os produtores alemães, já que pode comprometer imediatamente as exportações de porcos para o estrangeiro, nomeadamente para a Ásia.

O vírus, que provoca hemorragias internas mortais na maior parte dos animais contaminados, já tinha sido detetado há alguns meses em javalis na Polónia.

Na altura, a Alemanha instalou vedações elétricas com mais de 100 quilómetros de extensão junto à fronteira polaca para evitar que os animais infetados passassem para território alemão.

As autoridades de Berlim puseram em ação outras medidas, como a utilização de drones e de cães para detetarem javalis mortos.

A descoberta desta carcaça infetada na região de Brandebourg pode provocar a implementação de medidas de interdição à exploração e exportação de porcos criados na zona oriental da Alemanha.

Em 2014, o vírus da peste suína africana propagou-se em países do Leste europeu (Letónia, Lituânia, Polónia, Sérvia, Moldávia, Eslováquia e Roménia).

O abate de gado contaminado é a única forma de estancar a propagação da epizootia e que afeta os o negócio dos criadores alemães.

A Alemanha produz cinco milhões de toneladas de carne de porco anualmente, sendo o primeiro exportador europeu do setor.

O país beneficiou economicamente da peste suína que afetou os produtores da República Popular da China em 2018 onde, oficialmente, foi abatido mais de um milhão de animais.

Peste Suína Africana – Medidas de prevenção

Comente este artigo
Anterior VITIS - Campanha 2020/2021 - Pedidos de Pagamento adiantado
Próximo Manual de Boas Práticas de Fruticultura | Cereja

Artigos relacionados

Nacional

EDP acusada de cortar ilegalmente mais de 100 sobreiros na serra do Caldeirão

Mais de 100 sobreiros foram abatidos ou cortados na serra Caldeirão sem autorização do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF). […]

Últimas

Incêndios. “Quem ganha com isto”, questiona bispo da Guarda

O bispo da Guarda questiona a eficência da Proteção Civil em matéria de combate às chamas e “quem ganha” com os incêndios florestais, […]

Últimas

Webinar sobre a utilização de drones para a agricultura – 14 de maio

A HP Drones promove a realização de um webinar com o tema “Drones para agricultura”, onde vão ser abordadas as soluções inteligentes e eficientes com recurso a um sistema de […]