Agrocapitalismo de estufa – Manuel Loff

Agrocapitalismo de estufa – Manuel Loff

No dia em que corrigíssemos Odemira, este mesmo capitalismo levaria tudo isto para outro lado, com outras vítimas. É o que tem feito há gerações.

É revelador como emergem os problemas no debate público. Sobre Odemira, demorou-se a passar da cerca sanitária imposta às freguesias onde trabalham e vivem imigrantes para a perceção de um agrocapitalismo de estufa feito de abuso laboral generalizado e de ilegalidade descarada (salários, alojamentos, sequestro de documentos). O escândalo abriu um pequeno espaço para que, finalmente, se ouvissem as soluções propostas há muito por associações, sindicatos, partidos de esquerda, investigadores sociais: legalização de imigrantes, alojamentos condignos, eventualmente acordos com os países de origem. Até ao dia em que a CAP e a ministra da Agricultura vierem advertir que, se adotadas, elas poriam em causa a competitividade, ou que a UE avise que Portugal não pode avançar com legalizações que ponham em causa a segurança europeia

A questão, contudo, é que, no dia em que corrigíssemos Odemira, este mesmo capitalismo levaria tudo isto para outro lado, com outras vítimas. É o que tem feito há gerações. O problema, que é tudo menos exclusivamente alentejano ou português, é o do “desenvolvimento de formas ilegais, e às vezes até esclavagistas, de recrutamento de mão-de-obra agrícola, passando pelas formas mais atípicas e flexíveis de trabalho ocasional”, criando “uma sub-classe de trabalhadores temporários que são substituídos através de uma rotatividade permanente” (Nicholas Bell, Le Monde Diplomatique, abril 2003).

Este é o modelo que há 30 anos caracteriza o

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Indicações Geográficas: a Eternização de um saber - 13 de maio
Próximo Califórnia amplia extensão geográfica de declaração de emergência de seca

Artigos relacionados

Últimas

Pagamentos ao sector agroflorestal em setembro somam mais de 40 milhões de euros

No final do setembro de 2021, o Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas, I.P. (IFAP) procedeu a pagamentos ao setor agroflorestal no montante total de 40,7 […]

Últimas

PAC 2020: En tiempos de creciente incertidumbre y cambio climático, es imprescindible un cambio profundo de la Política Agrícola Común

Ante la reunión esta semana del Consejo de Ministros de la UE, donde la Comisión Europea presentará su comunicación sobre la reforma de la Política Agrícola Común (PAC) para 2020, […]

Dossiers

​“Hora dramática” na agricultura. Ajuda de 60 milhões “é um paliativo”

Os agricultores consideram que as linhas de crédito lançadas pelo Governo são um paliativo e não uma solução para atenuar os efeitos da Covid-19 no […]