Agricultores concordam com limites na divisão de terras nas heranças

Agricultores concordam com limites na divisão de terras nas heranças

[Fonte: Rádio Renascença]

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) considera que o Governo tomou uma boa decisão ao limitar a divisão de terras nas heranças.

Para Eduardo Oliveira e Sousa, presidente da CAP, este é o caminho, apesar de admitir que, no início, possa existir alguma a apreensão dos proprietários. “Se for feito com pés e cabeça creio que será um bom instrumento para voltar a introduzir viabilidade económica na exploração dos terrenos agrícolas e florestais”, diz, em entrevista à Renascença.

O presidente da CAP explica que as pessoas não serão prejudicadas, mas ficam condicionadas ao “direito de, ao dividirem o seu património, não criarem um problema que pode acarretar prejuízos para a região ou para a sociedade”.

Com a introdução da unidade mínima de cultura que limita a partilha de terras, que não pode ser inferior a quatro hectares no norte do país e 11 hectares no Alentejo, o Governo quer evitar a todo o custo, o fracionamento da terra, disse o secretário de Estado das Florestas, em entrevista à Renascença e ao Público.

“Temos que evitar a todo o custo o fraccionamento das terras. Não deve haver terras de ninguém em Portugal”

Eduardo Oliveira e Sousa pede que os proprietários olhem para a medida como “algo que pode aumentar o valor do seu património e do seu rendimento”. “As pessoas têm direito a ter o seu pedaço de terra, mas têm perceber que ele não é um bibelô que se tem no armário, é um pedaço do território que tem uma função social e económica”, acrescenta.

Apesar de se manter o direito do proprietário, a Confederação dos Agricultores defende que tem de haver medidas de compensação para os restantes herdeiros, para que nenhum fique prejudicado. O presidente da CAP dá alguns exemplos: “o património poderá não poder ser dividido, mas continuar a ser dos herdeiros e haver, entre os herdeiros, um que assume a gestão. Ou a gestão ser feita por uma entidade estranha, por contrato ou por arrendamento. Em último caso há a figura das tornas, há um que herda e os outros terão que ser ressarcidos por valor semelhante, por forma a não ficarem prejudicados”.

Comente este artigo

<span class="feed-rss-footer">O artigo <a title="Agricultores concordam com limites na divisão de terras nas heranças" href="https://rr.sapo.pt/noticia/138500/agricultores-concordam-com-limites-na-divisao-de-terras-nas-herancas?utm_medium=rss" target="_blank" rel="nofollow noopener"><i>Agricultores concordam com limites na divisão de terras nas heranças</i></a> foi publicado originalmente em <a href="https://rr.sapo.pt/rss/rssfeed.aspx?section=section_noticias" target="_blank" rel="nofollow noopener">Rádio Renascença</a>.</span>

Anterior Des centaines de fleurs sauvages menacées de disparaître en France
Próximo Governo e CAP concordam com limites na divisão de terras nas heranças

Artigos relacionados

Últimas

CNESA – Congresso Nacional das Escolas Superiores Agrárias – 14 e 15 de novembro – Viseu

[Fonte: Voz do Campo]
A cidade de Viseu, Portugal, vai acolher nos próximos dias 14 e 15 de Novembro de 2019, CNESA – Congresso Nacional das Escolas Superiores Agrárias
Após o enorme sucesso dos Congressos anteriores realizados em Bragança e em Elvas, […]

Últimas

Ecotrophelia Portugal premeia campeões da eco-inovação alimentar – Candidaturas até 13 de Abril

Estão abertas as candidaturas para a 2ª Edição do Prémio Ecotrophelia Portugal, uma competição coorganizada pela PortugalFoods e a FIPA – Federação das Indústrias Portuguesas AgroAlimentares, que promove a inovação do meio académico no setor agroalimentar. Os estudantes do ensino superior têm até dia 13 de abril para submeter os seus projetos, […]

Nacional

“O Bambu é uma cultura inovadora que não apresenta grandes dificuldades”

[Fonte: Voz do Campo]

Mariano Filannino, AlenBambu
O Bambu é um cultura inovadora que só necessita de água e fertilização (sobretudo nos primeiros três a quatro anos), por isso não apresenta grandes dificuldades, não precisa de inseticidas, fungicidas e herbicidas. […]