Agricultores alertam para dificuldades e pedem reabertura de mercados

Agricultores alertam para dificuldades e pedem reabertura de mercados

A Associação de Jovens Agricultores de Portugal alertou para as dificuldades que o setor enfrenta, perante a covid-19, nomeadamente, no escoamento, preços e transporte, pedindo a reabertura de mercados e a criação de apoios para as empresas fragilizadas. 

Num ápice, as dificuldades estão a fazer-se sentir em alguns subsetores direta e indiretamente associados [à agricultura], nomeadamente com os assalariados, o fornecimento de fatores de produção (sementes, fertilizantes, pesticidas, rações e produtos veterinários), assistência técnica, restrições ao transporte de animais e, eventualmente, de outros produtos, preços e escoamento”, apontou, em comunicado, a Associação de Jovens Agricultores de Portugal (AJAP).

Os jovens agricultores sublinharam que, em momentos de crise, são os primeiros a não conseguir cumprir prazos de execução de projetos e dos pagamentos à Segurança Social, à banca ou ao Estado.

Por outro lado, vincaram que o encerramento dos mercados locais e a “diminuição drástica das vendas em cadeias curtas”, como restaurantes e lojas locais, deixam muitos agricultores em situação de “elevado desespero”.

Assim, a associação defende ser necessário pensar em medidas exclusivamente dedicadas aos agricultores “mais frágeis”, como reequacionar a abertura de mercados locais, apoiar as empresas mais debilitadas e determinar “um período de tempo com custos mais baixos” de eletricidade.

“Seria de fundamental relevância criar linhas de crédito direcionadas ao apoio ao investimento, extremamente bonificadas, com pelo menos um ano de carência e que podiam chegar a 10 anos como prazo de pagamento”, acrescentou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 112.200 são considerados curados.

Em Portugal, registaram-se 76 mortes, mais 16 do que na véspera (+26,7%), e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 724 novos casos em relação a quinta-feira (+20,4%).

Dos infetados, 354 estão internados, 71 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

O artigo foi publicado originalmente em Notícias ao Minuto.

Comente este artigo
Anterior Agrária de Coimbra promove palestra “Black Soldier Fly – Bioconversão de resíduos na produção de proteína” - 28 de março
Próximo Conversas AgroGlobal. António Serrano da Jerónimo Martins Agroalimentar: “é importante, depois da crise, pensar na importância da soberania alimentar”

Artigos relacionados

Cotações PT
Últimas

Azeite alentejano é reconhecido como sabor do ano 2018

O Azeite de Moura DOP Virgem Extra, da CAMB (Cooperativa Agrícola de Moura e Barrancos), acabou de ser reconhecido como Sabor do Ano 2018 – um reconhecimento provado e aprovado diretamente pelos consumidores, […]

Últimas

Tempo quente e risco de incêndio no fim-de-semana, mas temperaturas descem até seis graus no início da semana

Continente e Madeira continuam com risco muito elevado de exposição à radiação UV

O tempo quente vai manter-se durante o fim-de-semana com máximas até […]