ADP Fertilizantes lançou recentemente no mercado o ADP NERGETIC Dynamic S+

ADP Fertilizantes lançou recentemente no mercado o ADP NERGETIC Dynamic S+

A ADP Fertilizantes lançou recentemente no mercado o ADP NERGETIC Dynamic S+ (DS+), respondendo à tendência de crescimento da procura de adubos azotados combinados com enxofre e protegidos. O ADP NERGETIC DS+ é um novo adubo azotado de cobertura, exclusivo, com azoto nítrico e amoniacal, enxofre, cálcio e boro, com a composição indicada no quadro abaixo. É a única solução no mercado com todos os nutrientes protegidos.

ADP Dynamic DS
O ADP NERGETIC DS+ é um nitrato de amónio com enxofre neutro, ou seja fornece este elemento como nutriente, sem efeito acidificante no solo e sem efeito de perdas de azoto amoniacal por volatilização.

Em termos fisiológico, o azoto e o enxofre são elementos estruturais essenciais para as plantas. Integram compostos orgânicos indispensáveis ao metabolismo e divisão celular vegetal, como aminoácidos, nucleótidos, proteínas, ácidos nucleicos, clorofilas e hormonas vegetais. Deste modo, o rápido crescimento e desenvolvimento vegetativo das culturas são garantidos utilizando adubos ricos em azoto. A atuação do azoto é sinergicamente potenciada quando associada ao enxofre, que está também presente no adubo ADP NERGETIC DS+. Esta sinergia é comprovada pelo aumento da produção e na boa qualidade dos produtos agrícolas.

O ADP NERGETIC DS+ combina a tecnologia de granulação com a tecnologia C-PRO. A tecnologia de granulação prolonga no tempo a presença do adubo no solo. A tecnologia C-PRO consiste num polímero biodegradável, com propriedades hidrofílicas, que regula a libertação de todos os nutrientes, permite a absorção dos nutrientes pelas plantas, e evita a lixiviação, minorando assim perdas de azoto, algo que ocorre com frequência, em especial quando existe chuva e/ou rega intensas.

O polímero regulador que reveste os grânulos de adubo, ao entrar em contacto com a água, transforma-se num gel específico, que por um lado envolve e protege todos os nutrientes de serem perdidos na água lixiviada, e por outro permitem o acesso das raízes para absorverem os nutrientes. Desta forma, os nutrientes são libertados lentamente e estão disponíveis para satisfazer as necessidades da planta durante mais tempo, promovendo uma resposta à adubação progressiva e com efeitos prolongados no tempo.

O ADP NERGETIC DS+ promove também uma resposta à adubação mais rápida ao nível de crescimento e desenvolvimento vegetativo, pois o ião nitrato disponibilizado na solução do solo é absorvido e utilizado imediatamente. O azoto nítrico ao estar protegido pelo polímero, está disponível em maiores quantidades porque não sofre perdas.

Nas adubações de cobertura, em especial em culturas de ciclos longos, o ADP NERGETIC DS+ apresenta a vantagem de ser o único adubo que protege todos os nutrientes, disponibilizando mais azoto às plantas e permitindo uma maior eficiência de utilização do azoto e do enxofre, o que confere maiores produções às culturas.

Em conclusão, o ADP NERGETIC DS+ protege e rentabiliza o investimento em adubação do agricultor.

Comente este artigo
Anterior Governo autoriza IFAP a contratar serviços para controlo da atribuição de pagamentos
Próximo Tour Nacional de Agrofloresta de Sucessão - 06 de Abril - Palmela, Figueiró dos Vinhos, Gerês e Santa Maria da Feira

Artigos relacionados

Comunicados

ORTIVA TOP- fungicida Syngenta autorizado em olival e arroz

10 de Agosto de 2018
O fungicida ORTIVA TOP da Syngenta obtém extensão de autorização para uso no controlo do olho de pavão em olival (azeitona de mesa e produção de azeite), […]

Últimas

Ministra da Agricultura: “Com reforço do INIAV, país estará mais bem preparado para enfrentar outras situações”

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, e a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, […]

Últimas

Opinião: Floresta e Energia (I). Deve a floresta nacional ser vista como bem comum?


Gil Patrão

Sendo os bens comuns detidos por todos e geridos de forma coletiva, a resposta à questão em título é […]