Adeus, canetas de plástico. Olá, esferográficas feitas de videiras

Adeus, canetas de plástico. Olá, esferográficas feitas de videiras

[Fonte: Publico]Projecto Da_Vide quer aumentar o uso de esferográficas biodegradáveis desenvolvidas a partir de resíduos de videiras do Douro.

O projecto Da_Vide lança esta quinta-feira, 25 de Abril, em Alijó, o movimento Vamos Escrever o Mundo….Sem Plástico que pretende aumentar o uso de esferográficas biodegradáveis desenvolvidas a partir de resíduos de videiras do Douro.

O investigador Pedro Teixeira arrancou há sete anos com o projecto Da_Vide, que visa o aproveitamento das vides, resíduos resultantes do corte das videiras após as vindimas no Douro. Agora, segundo anunciou em comunicado, vai lançar o movimento de mudança sustentável Vamos Escrever o Mundo… Sem Plástico que pretende substituir as esferográficas em plástico por outras biodegradáveis desenvolvidas a partir de resíduos de vides.

O lançamento oficial deste movimento acontece na Enoteca Quinta da Avessada, em Favaios, concelho de Alijó, onde o proprietário Luís Barros entregará todas as esferográficas em plástico e receberá, por parte do projecto Da_Vide, esferográficas biodegradáveis em videira.

Trata-se de uma “iniciativa simbólica”, mas que pretende ser o pontapé de saída para outros movimentos que o projecto quer lançar trimestralmente e visam promover o Douro como a região “mais sustentável do mundo”.

Pedro Teixeira defendeu que o “desenvolvimento tecnológico tem que ter por base os resíduos agrícolas, orgânicos e consequentemente biodegradáveis”, referindo-se, neste caso, aos resíduos resultantes das podas das videiras e dos processos de vinificação.

No Douro, segundo o investigador, são emitidas “cerca de 200 toneladas de dióxido de carbono (CO2)” todos os anos, “pela queima ou decomposição destes resíduos, o equivalente a 100 mil automóveis a circular durante um ano”. “A nível nacional, só no sector vitivinícola, estamos a falar em um milhão de toneladas de CO2”, referiu. Disse ainda que só em esferográficas de plástico poder-se-ia “reduzir o consumo de 2000 toneladas de plástico em 20 anos”.

O responsável afirmou que os objectivos da sustentabilidade poderão também ser “atingidos pela aplicação dos produtos e tecnologias desenvolvidas pelo projecto Da_Vide, nomeadamente: esferográficas ecológicas, papel de videira, tintas, mobiliário, pilhas biodegradáveis, mobiliário auto-energético (capaz de produzir energia eléctrica a partir das próprias fibras de videira, não necessitando de outras fontes de energia), pavimentos e revestimentos auto-energéticos”.

O responsável especificou que o movimento terá continuidade nos dias seguintes em empresas de Peso da Régua e Gondomar, prevendo-se que também se estenda à Câmara de Alijó.

Comente este artigo
Anterior Açores querem duplicar produção em modo biológico em 10 anos
Próximo Conversas sobre Agricultura IV – 2, 9 e 16 de maio - Instituto Superior de Agronomia – Lisboa

Artigos relacionados

Sugeridas

Segurança alimentar: PE reforça controlos para prevenir casos como o da carne de cavalo

Os eurodeputados aprovaram hoje nova legislação europeia que reforça os controlos oficiais ao longo da cadeia agroalimentar, “do campo ao prato”. […]

Blogs

Covid-19: Como é que agro biotecnologia esta a ajudar?

A Nicotiana benthamiana é uma das plantas que pode ser usada para a produção da vacina para o novo coronavírus.
Investigadores de diversas áreas, […]

Nacional

Stand do Algarve foi o «centro das atenções» na FITUR em Madrid

A presença do Algarve na FITUR, em Madrid, que decorreu entre 18 e 22 de Janeiro, deu «resultados bastante positivos» para o Algarve. […]