Açores/Eleições: PSD quer “eco-imposto” sobre os produtos agrícolas importados

Açores/Eleições: PSD quer “eco-imposto” sobre os produtos agrícolas importados

O PSD/Açores disse hoje que pretende criar um “eco-imposto” sobre os produtos agrícolas importados que provocam “mais resíduos” e que aumentam a pegada ambiental da região, de modo a “valorizar” os produtos regionais.

José Manuel Bolieiro falava hoje durante uma visita a uma exploração agrícola nos Fenais da Ajuda, concelho da Ribeira Grande, numa ação de pré-campanha eleitoral para as regionais dos Açores, marcadas para 25 de outubro.

O líder dos sociais-democratas disse ser necessário “garantir a sustentabilidade ambiental através do consumo” de produtos regionais, sendo, para isso, necessária uma “estratégia para a política fiscal” que garanta a “competitividade” dos produtos açorianos “face aos que são importados”.

Para essa “competitividade”, disse, é preciso “uma taxa para o produto que provoca na pegada ambiental mais resíduos”, de modo a reduzir as importações em detrimento dos produtos regionais.

“Criando um eco-imposto quanto ao que é importado e que provoca na pegada ambiental mais resíduos através deste tipo de importação e de empacotamento para o transporte do mesmo”, declarou, questionado pela Lusa sobre as medidas fiscais para aumentar o consumo de produtos regionais.

Bolieiro considerou a “diversificação agrícola” como “fundamental” para os Açores, para contribuir para a “autonomia alimentar” da região e para o “bom uso dos solos do ponto vista ambiental e do ordenamento do território”.

O social-democrata assinalou é que “é preciso valorizar” os produtos regionais “junto do consumidor turista” e desenvolver uma “estratégia” que permita criar um “verdadeiro mercado regional”.

“Garantir, estrategicamente, uma aposta na capacidade de formar um mercado regional, isto é, uma estratégia para o transporte aéreo e marítimo de mercadorias, de modo a que possamos caminhar de forma progressiva para a autonomia alimentar na região”, salientou.

O líder do PSD/Açores disse também querer dedicar “fundos comunitários” para “elevar a capacitação empreendedora” dos agricultores, seja nas componentes produtivas, transformadora e de comercialização.

As próximas eleições para o parlamento açoriano decorrem em 25 de outubro.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu com 46,4% dos votos, o que se traduziu em 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos).

O BE, com 3,6%, obteve dois mandatos, a coligação PCP/PEV, com 2,6%, um, e o PPM, com 0,93% dos votos expressos, também um.

Nas eleições regionais açorianas existem nove círculos eleitorais, um por cada ilha, mais um círculo regional de compensação que reúne os votos que não foram aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.

Comente este artigo
Anterior Algarve vai ter 228 milhões para investir na eficiência hídrica
Próximo Caracterização genética por análise demográfica da raça bovina Mertolenga - 2020

Artigos relacionados

Internacional

AU-EU agrifood platform: reinforcing the link between the EU and African private sectors

Ahead of its official launch, introductory talks on the African Union-European Union agri-food platform will be held on 25 June 2020 during an online event organised by the European Commission, […]

Notícias florestas

Empresas florestais temem “grandes catástrofes” após menor procura na limpeza de terrenos florestais

A Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente (ANEFA) diz que, independentemente da prorrogação do prazo de limpeza […]

Últimas

Oferta de emprego – Herdade Vale da Rosa – Estagiários (M/F)

Herdade Vale da Rosa está à procura de Estagiários M/F aptos a realizar o estágio profissional do IEFP.